Notícias

Feio? Galã de Pantanal diz que só conquistou a mulher por talento na viola

Foto: Instagram
Feio Galã de Pantanal diz que só conquistou

Se dependesse da beleza de Gabriel Sater, Paula Cunha não teria ido ao show em que conheceu o ator e se apaixonou por ele. Segundo ela, o Trindade de Pantanal não parecia atraente nas fotos de divulgação de seu primeiro disco. A produtora, porém, confiou na opinião de amigos, que juraram que a “viola enfeitiçada” do sertanejo valia o ingresso. Ela acabou casada com o ator da novela das nove da Globo.

“Minha sorte é que Paula foi a uma apresentação minha, em 2006, toda instrumental. Ela falou que eu estava feio na foto da divulgação do show, nem me deu moral. Meus produtores na época não tinham uma visão estética muito boa [risos]. Mas ela era amiga deles, que nos apresentou. Hoje, ela é a minha produtora, uma profissional sensacional. Veio aprendendo tudo sozinha, não trabalhava nessa área antes”, elogiou o marido, em entrevista ao jornal Extra.

A produtora, que não se rendeu à beleza do galã de primeira, hoje vê centenas de fãs babando pelo intérprete de Trindade – são 382 mil seguidores só em uma rede social. O ator assegurou, porém, que ela não é ciumenta.

“Ela torce para que as pessoas tenham interesse em mim. A gente sonha junto, a minha carreira é nossa. Quando dá certo, a gente vibra junto. Choramos ouvindo Amor de Índio tocar na novela”, relembrou ele.

Os dois estão juntos há 16 anos e adotaram cinco cachorros. “Amo tanto eles que chega a doer de saudade. Queremos ter uma casa maior para criar não cinco, mas dez cachorros. Eu e Paula tentamos ajudar ONGs que cuidam de animais carentes”, contou.

Bebês ainda não estão nos planos do casal. A carreira de Sater, afinal, é agitada. Atualmente, ele se divide entre as gravações da novela nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro, e as externas no Mato Grosso do Sul. Mal sobra tempo para visitar a mulher, que mora em São Paulo.

“Eu amo demais a minha esposa, e se eu for ter filhos vai ser com ela, com certeza. Ela era tão lindinha quando criança! Imagino uma menininha com a carinha dela… Mas a correria da vida tem sido grande. Não quero ser pai no fluxo, sem querer, sabe? Meu pai [o cantor Almir Sater] brinca: ‘Se você for pensar muito, não vai ter filho’. Mas eu não tenho essa resposta agora”, completou.

A história de amor prova que “viola enfeitiçada” de seu personagem ultrapassou a ficção. Mas previsões de Trindade, resultado de seu pacto com o diabo, permanecem limitadas à tela da televisão.

“Minha esposa é uma que tem esse lado sensitivo aguçado. Não chegam a ser premonições, mas ela já me revelou situações que fiquei de confirmar e depois se concretizaram. Minha avó chamava a Paula de ‘meu amuleto da sorte’. Porque ela é meu anjo da guarda em muitos sentidos”, afirmou.

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, a novela Pantanal foi exibida em 1990 pela extinta Manchete (1983-1999). O remake da Globo é adaptado por Bruno Luperi, neto do autor.

0 %