ColunistasFelicidadeVida

A felicidade é o encontro de si mesmo!

A felicidade está indissociada do encontro de si mesmo… E como se encontrar?



Olhe continuamente para dentro de si, aceite seus erros como passos necessários para o crescimento, só aprende a andar quem caiu a primeira vez e tentou mais uma vez…

Preste atenção em cada emoção que vive e viveu que se transformou ou transforma-se em dor, traga isso ao consciente e tente trabalhá-la, resolvê-la. Somente quando trazemos algo a percepção da realidade podemos trabalhar, vencer e transmutar, enquanto não quisermos olhar para o que mal está a nos fazer não teremos a capacidade de superar e mudar a direção, é preciso ter consciência de, para mudar, crescer, transmutar.

a-felicidade-foto-01


É preciso aceitar que algo não está no seu devido lugar para conseguir colocá-lo onde ele deveria estar… Aceite-se tal como é, e isso não significa não lutar para mudar, crescer e evoluir no que precisa, isso apenas significa aceita-lo como um ser imperfeito, passível de erros e que está na grande escola da vida para dia após dia fazer uma contínua construção, cada um a sua velocidade, o importante é não ficar estático, é perdoar a si mesmo pelos erros cometidos, é acreditar que estamos aqui para a construção do “Ser”, não para “Ter”. O ter sem sentir o ser não tem nenhum significado, perde no vazio da ilusão, perde no vazio do supérfluo, perde no vazio da lacuna existencial.

Aceite cada um tal como é, que assim como você é um “Ser” em contínuo crescimento e evolução, e que por não ser perfeito, ao tentar aprender na escola da vida por vezes erra, e às vezes, seu erro traz repercussão negativa a você, dor, mas nem sempre a intenção do outro é errar, mal fazer. Envolto em seu estágio de consciência assim agiu ou age porque não conseguiu e não consegue ainda fazer diferente. Só não aceite nada que transgrida a sua paz continuamente, aceitar o outro como ele é, perdoá-lo e seguir não significa fazer uma transgressão da sua própria paz interna continuamente por ser submisso o tempo todo àquilo que não lhe faz bem. Pode e deve sinalizar ao outro sobre o que está acontecer, sobre seus comportamentos, envolto é claro pela energia do amor, e se verificar que o outro não é capaz de mudar a seu tempo, talvez o único caminho quando possível é se afastar.

Não podemos deixar que nenhuma energia externa afete a nossa energia de equilíbrio interno. Durante as dificuldades da vida, não acredite que vítima é da vida ou do sistema, ao invés de pensar nisso como forma de tirar a responsabilidade de si diante dos acontecimentos, assuma a sua própria responsabilidade. Tente refletir o que precisa mudar e fazer diferente para conseguir resultados diferentes. Geralmente colhemos aquilo que plantamos, ou recebemos do meio exatamente a projeção de nossos medos. Tudo o que muito tememos, o que não queremos, o que em algum ponto não está desenvolvido e não trabalhado em nossa alma, acabamos por atrair para nossas vidas.

Cuidado! Tenha a percepção de que você é o mentor de sua própria vida, tenha a percepção do seu poder de atração, caso contrário, de forma consciente ou inconsciente atrairá para si tudo aquilo que é diferente do que projeta. Uma mente com medo acaba por viver todos os seus medos e o sofrimento que eles trazem, sim, é a única forma que há de se trabalhar estas emoções não resolvidas. Portanto, quando tiver algum medo, tente afastá-lo com afirmações positivas, “eu não tenho medo disso, isso é coisa da minha mente que está sendo facultado, eu nasci para vencer e nada disso vai me acontecer”. Quando trazemos ao consciente a energia da coragem, do positivismo acabamos por de forma consciente ou inconsciente fazer escolhas mais sábias e mais inteligentes, e afastamos para longe de nós as projeções negativas que não queremos viver.


Enquanto não evoluímos uma característica, temos a tendência de puxar acontecimentos para nossa vida como se fosse uma forma forçosa do Universo de trabalhá-la até atingirmos a evolução. Reflita, será que que não está a viver repetidamente algumas situações por algo que ainda não conseguiu trabalhar? Exemplo, quem tem medo da rejeição acaba por continuamente a atrair para a sua vida pessoas não resolvidas, que ainda não se encontraram dentro de si, que não estão bem, e que consequentemente acabam por rejeitar também.

a-felicidade-foto-02

Outro exemplo, pessoas que tem medo da solidão, que não se encontram e sentem-se sozinho quando estão distantes de alguém ou mesmo numa multidão, acabam por atrair isso para a sua vida, porque quando está ao lado de alguém, tem tanto medo de perder e de ficar só, que sufoca o outro por excessos de cobranças, de ciúmes, e a solidão acaba por ser no futuro o resultado disso. Ou seja, é a soma, a resposta do Universo àquilo que ainda não evoluiu, numa forma natural da vida de tentar forçar a evolução da alma. Não tem como estar bem com alguém se não estiver bem sozinho…

A vida é um reflexo de nós mesmos, e o olhar interno continuamente trazendo a mente a percepção da realidade, forçando-a a descobrir cada sentir é o que nos possibilita a realização de um grande trabalho interno em busca do encontro de si mesmo… E quando viajamos o tempo todo a busca deste encontro interno, no processo contínuo de contínuo crescimento, ganhamos instrumentos para caminharmos melhor no solo da vida.


Somente sabe dar grandes passos quem está disposto a cair se necessário para aumentar a distância de cada um deles, porque a ousadia, a vontade de buscar, de crescer e realizar, são os maiores instrumentos da vida.

A cura está na frequência da alegria!

Artigo Anterior

Com o tempo, aprendi a evitar as discussões que não tem sentido…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.