4min. de leitura

Felicidade interna bruta (FIB)

Como você se sentiria se vivesse em um dos países mais felizes do mundo? Parece instigante, mas, infelizmente, nem todos os países se preocupam ainda com o nível de felicidade da população da mesma forma que se preocupam com o nível econômico. 


A Felicidade Interna Bruta (FIB) é um indicador desenvolvido pela ONU em parceria com o governo do Butão para medir o grau de desenvolvimento de um país.

O Relatório de Felicidade Mundial da ONU é um relatório anual que mede a felicidade e o bem-estar dos países do mundo.

Ao contrário do PIB (um indicador que mede apenas a riqueza econômica de um país), o FIB, além de avaliar a parte econômica, avalia também a sustentabilidade (conservação do meio ambiente) e o bem-estar, dando um caráter ético que falta ao PIB. Um desastre natural, por exemplo, ocasionando tragédias pode aumentar o PIB. Sendo assim, levar em conta somente a economia é insuficiente para medir o bem-estar de uma nação.


As dimensões mensuradas pelo FIB são…

Vitalidade comunitária: relacionamento, sensação de pertencimento e segurança nas comunidades. Além de interação entre as comunidades.

Bem-estar psicológico: mede o otimismo que cada pessoa tem em relação à sua vida. Analisando autoestima, nível de estresse e espiritualidade.


Uso do tempo: inclui questões sobre o equilíbrio do tempo entre horas de trabalho, atividades de lazer e atividades educacionais.

Padrão de vida: analisa a renda familiar e individual, finanças e qualidade habitacional.

Educação: valores educacionais no que se refere a competências e ao meio ambiente.

Saúde: analisa as medidas de saúde implantadas pelo governo.

Meio ambiente: relacionamento entre os cidadãos e o meio ambiente. Acessibilidade para as áreas verdes, sistemas de proteção e biodiversidade.

Cultura: análise das tradições culturais locais. Desenvolvimento de capacidades artísticas.

Governança: estuda a relação entre a população e a mídia, sistemas de eleições e segurança. Assim como a confiança no governo.

Segue abaixo o ranking de 2019 (que retrata a felicidade de 2016 a 2018) dos países mais felizes do mundo. Aqueles que deveríamos “copiar” seu modo de vida e a política implantada pelo governo.

1. Finlândia

2. Noruega

3. Dinamarca

4. Islândia

5. Holanda

6. Suíça

7. Suécia

8. Nova Zelândia

9. Canadá

10. Áustria

Vale ressaltar que os Estados Unidos estão na posição 19 do ranking e o Brasil na posição 32 (caiu dezesseis posições de 2015 a 2018). 

Todos os países que se preocupam com o PIB deveriam valorizar mais o FIB por uma questão muito simples: Sofrimento, estresse e descontentamento gera custo financeiro. Enquanto bem-estar, felicidade e sustentabilidade gera um país mais rentável, mais humano e melhor para se viver.

Além do papel que deveria ser desempenhado pelo governo, como tentar se aproximar do modo de vida socioeconômico dos países mais felizes do mundo, que possamos pesquisar mais sobre esses países e fazer nossa parte, focando na saúde emocional, bem-estar e felicidade.

Pois a felicidade interna de cada um de nós gera a felicidade interna de um país. Esse é o verdadeiro e o mais sensato caminho para um mundo melhor! 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.