3min. de leitura

Felicidade não se limita às minhas conquistas, mas também às conquistas daqueles que amo.

Recentemente, li um texto de uma pessoa muito querida, num influente site voltado para a área de saúde, mais especificamente da psicologia.


Estou tão feliz em ver isso acontecer! Eu vivi muito a sua euforia no começo da sua carreira literária. E até eu mesmo, neste computador, tentei reproduzir aquilo que minha mente absorvia ao ler cada um dos seus artigos.

Desde que começou a escrever, ela arrebanhou um número muito grande de pessoas. Algumas porque viviam alguns dramas para os quais os textos viam sempre a calhar. Outras, simplesmente, por serem amantes da literatura e por gostarem de ler textos de autoajuda.

Preciso frisar aqui, que muitos desses textos me ajudaram muito como ser humano. Desci e subi muitas vezes a escada rolante da ignorância, porque, para isso, não precisamos de esforço algum.

Empurrei muitas vezes os meus problemas e, muitas vezes, via-me na necessidade dos seus conselhos e recomendações. Fiquei, muitas vezes, pensativo e noutras vezes resolvi colocar em prática aquilo que lia nos seus artigos.


Quero compartilhar, portanto, a minha alegria com o objetivo não apenas de demonstrar gratidão, mas principalmente porque estou realmente feliz com as conquistas que ela obteve, pois sinto-me participante dessa vitória.

Ademais, vejo que como adultos, temos que saber que a felicidade daqueles que amamos não está condicionada apenas ao seu mundo exclusivo, somos parte de um todo.

Perdemos oportunidades de ser felizes, muitas vezes, por sermos egoístas, como criaturas do pântano, mas eu posso, orgulhosamente, dizer que ela também trouxe algumas razões para o meu riso com o seus textos. Para que os momentos de amargura tivessem um sabor diferente.

Torço por ela sempre, e comemoro de forma diferente a cada conquista, cada objetivo conquistado e que a faz feliz, que a faz prosseguir nesse caminho da escrita que ilumina, encanta e que faz muitos corações transbordarem de alegria e paz.


Bem, existem pessoas que dizem que são felizes apenas porque não tentam agradar ninguém. Deveria ser o contrário… Deveríamos sempre dar o melhor de nós para que outras pessoas fossem felizes. Assim, podemos deixar para trás, tudo que se refere ao egoísmo.

Ai sim, ficamos felizes com o sorriso dele (a) ou ao escutar uma gargalhada e ver o brilho dos seus olhos.

Enfim, quero parafrasear o dito: “sua felicidade é a minha também”.

Parabéns, Ivonete Rosa!

_________
Direitos autorais da imagem de capa: dolgachov / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.