9min. de leitura

Felicidade – Uma questão de atitude!

“Para driblar a depressão, UnB é a 1ª do país a ensinar felicidade!”

A nova disciplina será ofertada no campus que concentra cursos de engenharia. Foi anunciado recentemente que a Universidade de Brasília terá aula de “Felicidade” no próximo semestre. O objetivo é apresentar estratégias para ajudar os estudantes a lidarem com fatores adversos do dia a dia. De acordo com o professor Wander Pereira, que será responsável pelas aulas, “não é uma porta para a felicidade e não trará um modelo fechado para isso. A ideia é tentar entender como podemos ser felizes aqui, no campus, e o que fazer para evitarmos a infelicidade”.



A disciplina Felicidade já é ministrada em várias Instituições fora do Brasil, como as Universidades de Yale e Harvard, sendo considerada uma das mais concorridas, com mais de 1,2 mil alunos inscritos nas aulas de Psicologia e Vida Boa da professora Laurie Santos. Ela acredita que “A felicidade humana é menos alimentada por altos salários e notas e muito mais por alguns simples atos de bondade, pela meditação, gratidão, exercícios físicos e, inclusive, pelo ato de dormir”.

Se existe algo que ninguém abre mão de buscar todos os dias, com certeza é a Felicidade. Não tem como viver sem sentir o prazer de estar bem, ser amado, bem-sucedido e reconhecido.

Tudo isso é apenas uma das diversas maneiras de sentir o bem-estar que a felicidade traz para a vida das pessoas.

Muitas vezes, um pequeno gesto ou uma palavra de alguém faz toda a diferença em nosso dia.


Quando alguém acorda e se depara com diversas situações às quais deverá enfrentar: o trânsito, as contas para pagar, o desemprego, o stress, a violência urbana e doméstica, entre outros. Não dá para negar que tudo isso, muitas vezes, causa desânimo, preocupação e a tristeza pode ser uma das consequências tomando conta do dia a dia. Porém, não tem como fugir dessa situação rotineira, pois o fato de viver em uma sociedade traz o convívio com diversas situações que podem ir de encontro às crenças e valores, para o qual, muitas vezes, as pessoas não estão preparadas.

Apesar disso tudo, o ser humano nasceu para ser amado, respeitado e feliz. Mas afinal: o que é a felicidade? O que realmente traz a felicidade? É possível ser feliz sempre? O que fazer para ser feliz?

São tantas perguntas que fica até difícil responder, sem uma análise sobre o assunto. Portanto, aqui estão algumas considerações que podem ser importantes para uma análise que cada um deve fazer sobre sua trajetória pessoal e profissional.

Existem algumas frases, como por exemplo:Quem mais sabe de mim é o espelho do meu camarim!”, “Coração dos outros é terra que ninguém entra!”, e outra, muito popular: “as pessoas veem o tombo que você leva, mas não conhecem a cachaça que você toma!”.


O assunto Felicidade tem sido alvo de estudos não só nas áreas acadêmicas, mas também é tema de diversas pesquisas no mundo. Em uma recente pesquisa, de acordo com World Happiness Report 2018, (Relatório Mundial de Felicidade 2018), elaborado pela Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da ONU, foi medido o índice de felicidade de 156 países com base em seis pilares: renda, liberdade, confiança, expectativa de vida, generosidade e apoio social. Em primeiro lugar encontra-se a Finlândia, um país de pouco mais de 5 milhões de habitantes até a data da realização da pesquisa, O segundo lugar ficou com a Noruega e em terceiro, a Dinamarca. O Brasil ocupou o 28º lugar entre os países pesquisados.

O que é necessário fazer para ser feliz? Primeiramente, é necessário saber que não existe uma receita pronta para alcançá-la, e que ser feliz é uma escolha estritamente pessoal, e não dá para colocar nas mãos de outras pessoas essa responsabilidade.

Quando ouço frases como: “Ainda não encontrei o meu pé-de-meia”, “a minha cara-metade”, “a metade da minha laranja que falta”, fico pensando que essa pessoa não deve estar “inteira”, pois precisa de algo ou alguém para completá-la.

Penso que é necessário, primeiramente, estarmos inteiros para então termos como dividir algo com alguém. Ficar procurando a metade poderá tornar-nos vulneráveis à dependência emocional e psicológica para sermos plenamente felizes.

A felicidade é algo que para ser conquistada, necessita de um fator importantíssimo que ninguém poderá tomar em seu lugar, que se chama ATITUDE.

A grande diferença entre querer e conquistar, encontra-se relacionada com  sonhar e agir! Certa vez, ouvi uma frase que não me esqueci: “Sonhe, sonhe muito, todas as noites tenha um sonho novo, mas quando o dia amanhecer, levante-se e vá fazer algo para realizar esse sonho!”.

É extremamente necessário tomar algumas atitudes, como por exemplo: acreditar que se é capaz e trabalhar para aumentar essa capacidade; estudar muito e sempre; demonstrar gratidão pelas pessoas, principalmente por aquelas que ajudam e estão sempre ao seu lado, em qualquer circunstância; deixar cada vez mais de procrastinar o que deve ser feito; procurar sempre uma maneira diferente de fazer as coisas; conquistar novos amigos, novos hábitos, novos maneiras de enxergar as outras pessoas, principalmente evitando o preconceito. Outra dica importante é a de não se intimidar diante dos obstáculos que, com certeza, teremos pela frente todos os dias.

Ter objetivos e metas como um Plano de Vida é imprescindível para que a realização pessoal e profissional aconteça. Gosto muito de uma frase que ouvi em um curso que fiz sobre Filosofia de Vida que é a seguinte: “Ninguém tem o direito de fazê-lo infeliz, a não ser que você permita!”.

Se você deseja algo, faça o que puder para conquistar seu objetivo. Quer emagrecer? Comece a dieta e os exercícios. Quer ser amado? Saia de casa, viaje, conheça novas pessoas e abra seu coração para o amor. Quer ter sucesso? Invista em sua carreira, estude sempre, não tenha preguiça de participar de palestras e congressos. Leia e informe-se mais, seja o empreendedor de sua carreira. Quer ter amigos? Não se isole, deixe a timidez de lado e aproxime-se das pessoas, seja simpático, carismático, envolva-se com os outros. Saiba falar, porém, muito mais do que isso, saiba ouvir atentamente e coloque a empatia como uma atitude diária em suas relações pessoais e profissionais.

Por fim, defina para sua vida exatamente o que é necessário para que você seja feliz. Se for dinheiro, faça algo para conseguir, se for um bom emprego, defina estratégias para ser selecionado em alguma empresa e fique atento ao mercado de trabalho. Se for amor, busque-o cada vez mais.

Coloque entusiasmo em sua vida, exija respeito das pessoas que o cercam, aumente cada vez mais a sua autoestima, acredite em você, tenha Fé e deixe a sua estrela brilhar! Você merece ser feliz!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: mimagephotography / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.