Notícias

Felipe Andreoli desabafa após ser questionado por posts antigos

Design sem nome 2021 11 01T155157.387

Depois de criticar a postura e os comentários de Maurício Souza, o apresentador Felipe Andreoli foi questionado por piadas que fez no passado.



Os prints foram expostos nas redes sociais por simpatizantes do ex-jogador, que foi demitido do Minas Tênis Clube devido a declarações homofóbicas.

“O Andreoli de 2021 é muito diferente do de 2010. Eu quero aprender, o tempo todo. Cada vez mais”, rebateu com classe o exposed. Leia, abaixo, a resposta completa.

“Sim, o print é eterno. Coisas que foram ao ar, coisa que escrevi e falei estão documentadas. Absurdos. O que era considerado piada, hoje sabemos que mata. E por isso é crime. O mundo mudou, longe de ser suficiente.”


“Mas tenho orgulho de ter aprendido, estudado a ponto de poder lutar e combater no lado certo. O Andreoli de 2021 é muito diferente do de 2010. Eu quero aprender, o tempo todo. Cada vez mais. Eu tô aqui pra mudar e pra mostrar que faz parte da construção do ser humano.”

“E seguirei atento para ser um agente ativo no caminho de uma sociedade de liberdade e respeito.”

Design sem nome 2021 11 01T154352.928

Direitos autorais: reprodução Twitter

Maurício Souza entrará com ação judicial contra Andreoli, Casagrande e a TV Globo por danos morais, calúnia, difamação e injúria.


Homofobia é crime!

Em junho de 2019, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o crime de homofobia deve ser equiparado ao de racismo. Os magistrados entenderam que houve omissão inconstitucional do Congresso Nacional por não editar lei que criminalize atos de homofobia e de transfobia. Por isso, coube ao Supremo aplicar a lei do racismo para preencher esse espaço.

Design sem nome 2021 11 01T155016.672

Direitos autorais: marcbruxelle – 123rf

Como denunciar pela internet


Em casos de homofobia em páginas da internet ou em redes sociais, é necessário que o usuário acesse o portal da Safernet e escolha o motivo da denúncia.

Feito isso, o próximo passo é enviar o link do site em que o crime foi cometido e resumir a denúncia. Aproveite e tire prints da tela para que você possa comprovar o crime. Depois disso, é gerado um número de protocolo para acompanhar o processo.

Há aplicativos que também auxiliam na denúncia de casos de homofobia. O Todxs é o primeiro aplicativo brasileiro que compila informações sobre a comunidade, como mapa da LGBTfobia, consulta de organizações de proteção e de leis que defendem a comunidade LGBT.

Pelo aplicativo também é possível fazer denúncias de casos de homofobia e transfobia, além de avaliar o atendimento policial. A startup possui parceria com o Ministério da Transparência-Controladoria Geral da União (CGU), órgão de fiscalização do Governo Federal, onde as denúncias contribuem para a construção de políticas públicas.


Com a criminalização aprovada pelo STF, o aplicativo Oi Advogado, pensado para conectar pessoas a advogados, por exemplo, criou uma funcionalidade que ajuda a localizar especialistas para denunciar crimes de homofobia.

Delegacias

Toda delegacia tem o dever de atender as vítimas de homofobia e de buscar por justiça. Nesses casos, é necessário registrar um Boletim de Ocorrência e buscar a ajuda de possíveis testemunhas na luta judicial a ser iniciada.

As denúncias podem ser feitas também pelo 190 (número da Polícia Militar) e pelo Disque 100 (Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos).


 

Padre Patrick diz que só posta foto sem camisa de novo quando Jesus voltar

Artigo Anterior

“Não somos ricos. Eu sou rico”, diz Shaquille O’Neal aos filhos em podcast

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.