Família

Filho cria anúncio para ajudar mãe desempregada e, em menos de 48h, ela recebe centenas de propostas

Anna recebeu a ajuda do filho para sair do desemprego. Estava desesperada por um cargo, independentemente de qual fosse a área.



A internet possui duas faces (completamente opostas) de funcionamento. Ora alimenta o ódio e o descontrole de indivíduos que se escondem atrás do anonimato das redes, ora fomenta e multiplica a bondade, espalhando e concretizando sonhos. Assim como grande parte dos mecanismos possui fatores bons e ruins, é importante tentar selecionar apenas o que serve para nós, sem que ofenda outras pessoas.

O desemprego tem assolado famílias, deixando em desespero quem precisa alimentar seus filhos e honrar seus compromissos. Com a disseminação do novo coronavírus, muitas empresas fecharam suas portas ou reduziram seu quadro de funcionários, elevando o número de indivíduos em busca de emprego no mundo todo.

Anna Piacquadio estava em busca de uma colocação no mercado de trabalho havia mais de um ano, o desespero já a assombrava.


Seu filho, Felice Capita, de 24 anos, percebeu que não precisava fazer muito para ajudar aquela que mais lhe estendeu a mão ao longo da vida, bastava usar seus conhecimentos para fazer com que ela fosse notada.

Formado e atuando em TI, o jovem decidiu usar seu perfil no LinkedIn, uma rede social com foco na área profissional, para explicar a situação em que sua mãe se encontrava. A sinceridade do garoto comoveu a rede, que a compartilhou em massa, fazendo uma linda corrente para impulsionar aquele pedido.

Direitos autorais: reprodução LinkedIn/Felice Capita.

Felice escreve que, por mais que sua mãe fosse uma mulher competente, educada e prestativa, estava tendo muitas dificuldades para arrumar um emprego. Ela estava em busca de um cargo de escriturária administrativa, mas havia chegado a um ponto em que aceitava qualquer emprego. Ele pediu ajuda a todos e, no fim, colocou uma imagem dos dois juntos, o que chamou mais atenção ainda.


Muitas pessoas comentaram na publicação, enaltecendo o comportamento do filho, além disso, compartilharam as dificuldades por que passavam, e os empresários, em contrapartida, ofereceram soluções ou mesmo um bate-papo com eles.

Para surpresa de todos, em menos de 48 horas, Anna recebeu muitas propostas de emprego, e uma imobiliária ofereceu um cargo interessante, com contrato assinado e até comissões sobre vendas.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Felice Capita.

A internet foi capaz de maximizar aquele pedido de ajuda, passando à frente, para que chegasse às pessoas que poderiam resolver aquela situação. Anna está empregada nessa imobiliária há seis meses e muito grata pela ajuda do filho e prestatividade dos usuários e contratantes, que fizeram questão de olhar seu currículo.


Exercício lógico: qual das meninas foi a primeira a chegar à casa da avó?

Artigo Anterior

Menino desnutrido e doente, que foi adotado por pai solteiro, vira mergulhador olímpico!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.