Fingir que não dói causa o dobro de dor

Não importa quão evoluídos sejamos, ainda ficaremos abalados com determinadas circunstâncias, isso faz parte de nossa natureza.

Quando enfrentamos situações desafiadoras na vida, que trazem consequências inesperadas e nos forçam a sair de nossas próprias zonas de conforto, existem algumas atitudes que podemos tomar para lidar com a situação com sabedoria e aprender as lições necessárias para seguirmos para o próximo ciclo.

Algumas pessoas escolhem agir, aceitar todas as falhas e dores e erguer a cabeça, trabalhando ativamente para recomeçar da melhor maneira possível. Outras, no entanto, não são tão boas em reconhecer as próprias emoções e traçar um novo caminho a partir delas, e por isso escolhem utilizar um mecanismo de defesa muito comum, fingir que está sob controle da situação e que não está sentindo nenhuma dor. Elas acreditam que esse comportamento transmite um ar de superioridade, mas a verdade é que apenas aumenta mais o seu sofrimento, já que não se permitem passar pelas etapas necessárias para sua cura.

Podemos fingir para os outros que não sentimos dor, que não há nada que nos abale de verdade e que já aprendemos a dominar todas as nossas emoções, mas não podemos enganar a nós mesmos. Não importa quão evoluídos sejamos, ainda ficaremos abalados com determinadas circunstâncias, isso faz parte de nossa natureza.

Apesar de não termos como evitar completamente a dor em nossas vidas, podemos escolher sobre por quais coisas realmente sofremos, porque o sofrimento está diretamente relacionado com as nossas atitudes perante aquilo que nos sucede. É preciso haver um equilíbrio, porque da mesma maneira que não podemos exagerar no sofrimento, também não podemos fingir que ele não existe. Quando encontramos a medida exata, encaramos os momentos de dor como grandes aprendizados, que nos prepararão para a melhor fase de nossas vidas.

Se você está buscando praticar esse equilíbrio com sabedoria, confira algumas dicas preciosas abaixo:

Não tente acelerar as coisas, permita que o tempo flua

Cada situação de nossas vidas é única, assim como seus efeitos e o tempo que precisamos para nos curar. Não adianta tentarmos apressar a cura, porque se o fizermos ela não será completa. Ainda que demore um tempo, permita-se se recuperar totalmente, seja paciente consigo mesmo.


Conte com o apoio das pessoas que o amam

Não precisamos contar ao mundo todo que estamos passando por um momento de dor e confusão, mas muitas vezes desabafar com pessoas que nos amam e que sabemos que querem o nosso bem pode ser uma boa maneira de aliviar a carga emocional que sentimos e ganhar novas perspectivas para o futuro. Você não está sozinho.


Mantenha uma atitude positiva

Nossa atitude é fundamental para decidir se uma determinada situação será uma coisa boa ou ruim em nossas vidas. Quando escolhemos manter um posicionamento positivo, mesmo as fases mais complicadas parecem ter um propósito, e se torna mais fácil encarar o momento e superá-lo.


Seja honesto com seus próprios sentimentos

Reconhecermos nossos sentimentos e sermos honestos com eles é o primeiro passo para alcançarmos a cura. Ao dedicarmos tempo para compreender nossas dores e a que fim elas servem, conseguimos estabelecer um padrão real da realidade que vivemos e do que precisamos para torná-la melhor. Aceitar onde estamos é o princípio da transformação.

Lembre-se sempre de que fingir que não dói causa o dobro de dor. Encare suas dores com a cabeça erguida e nunca perca a esperança em um amanhã melhor, porque ele virá.

Compartilhe este texto com um amigo que precisa ouvir essas palavras.


Direitos autorais da imagem de capa: Timothy Paul Smith/Unsplash.



Deixe seu comentário