Comportamento

“Fiquei com medo e comprei tudo”

capa site Fiquei com medo e comprei tudo

Kadu conta, em tom descontraído, que os ambulantes o abordaram de maneira agressiva, chegando a intimidá-lo.

Em qualquer passeio turístico, principalmente nas cidades praianas, as chances de encontrar ambulantes vendendo seus produtos são altas. Muitos visitantes usufruem do trabalho da categoria, comprando refeições típicas do lugar, vendidas mais barato, itens de praia e até artesanato.

Enquanto para alguns o trabalho dos ambulantes deve ser regulamentado, com leis capazes de ampará-los, para outros pode ser motivo de críticas. A quantidade de reclamações, principalmente de turistas, dos trabalhadores da classe não é pequena e, recentemente, um vídeo publicado no TikTok dividiu opiniões. 

O carioca Kadu Pacheco, de 28 anos, relatou em seu perfil que foi abordado por ambulantes no Farol da Barra, em Salvador (BA), mas que não encontrou saída, a não ser comprar tudo que eles estavam oferecendo. O vídeo na rede social acabou viralizando e, com mais de 200 mil visualizações, o rapaz explicou, em reportagem ao G1, que fez com o intuito de servir de alerta aos que podem passar por situações semelhantes.

O jovem explica que ficou apreensivo com tudo que aconteceu em uma viagem de quatro dias a Salvador. De acordo com Kadu, um ambulante o abordou, colocando uma pulseira do Senhor do Bonfim em seu braço e pedindo que fizesse três pedidos, e chegou a lhe informar que era um presente.

2 Fiquei com medo e comprei tudo

Direitos autorais: reprodução TikTok/ @kadu_pacheco.

Logo depois, colocou um colar no pescoço do Kadu e também disse que era presente. O carioca explica que, a partir daí, as coisas foram acontecendo sem que ele conseguisse recusar. Recebeu pintura corporal, pela qual os ambulantes cobraram R$ 25, e ainda ficou com três colares que juntos custavam R$ 100. Como tinha apenas R$ 94, o turista explica que deu o dinheiro e saiu correndo, já que não conseguiu recusar o serviço e também não estava carregando mais nenhum valor.

Kadu explica que não teve a intenção de falar mal do trabalho dos ambulantes, apenas de fazer piada com as situações por que passa. Mesmo sem querer, ele gastou R$ 119 com produtos que não vai usar, e conta que não conseguiu recusar porque foi ameaçado pelos homens, que afirmaram que ele tinha que efetuar o pagamento, o que o deixou com medo.

Mesmo assim, alguns usuários não ficaram contentes com o teor do vídeo, principalmente alguns soteropolitanos, que acharam que Kadu estava desdenhando da cidade, chegando a pedir que ele voltasse para o Rio de Janeiro. O carioca também foi xingado, mas relata que não teve a intenção de ofender ninguém, apenas contar o que tinha passado.

Outros seguidores ficaram ao lado do carioca, relatando momentos similares que viveram, em que foram abordados por ambulantes e forçados a comprar produtos sob comentários agressivos e impositivos. 

Intimidado, ele entregou aos ambulantes o dinheiro que tinha e preferiu não prestar queixa da situação.

3 Fiquei com medo e comprei tudo

Direitos autorais: reprodução TikTok/ @kadu_pacheco.

A Polícia Civil informou que não existe crime em abordar potenciais clientes na praia e que os ambulantes podem sim fazer isso, mas caso os consumidores se sintam de alguma forma lesados ou ameaçados, podem prestar queixa, que os oficiais vão investigar da mesma forma que investigam os demais crimes.

Os agentes ainda explicam que o policiamento e as demais medidas preventivas são de responsabilidade da Polícia Militar. A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) informou em nota que está trabalhando ativamente para capacitar os ambulantes, assim poderão oferecer serviços de qualidade aos turistas.

0 %