Comportamento

Fiuk revela que sofreu bullying por diagnóstico de TDAH: “Sempre tinha que me isolar”

O músico abriu o coração sobre as dificuldades que enfrentou quando mais novo por causa do transtorno. Confira!



O TDAH, também conhecido como distúrbio do déficit de atenção (DDA), é uma doença crônica, tratada com medicamentos e psicoterapia, que manifesta sintomas como desatenção, hiperatividade e impulsividade. Os sintomas aparecem na infância e podem acompanhar as pessoas no decorrer de toda a vida.

De acordo com informações da Associação Brasileira do Déficit de Atenção, o TDAH afeta até 5% das crianças e é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Talvez você já tenha conhecido alguém que sofre do transtorno e tenha testemunhado de perto o quanto o diagnóstico pode influenciar na maneira como vivem e são tratados por pessoas próximas.

Fiuk é um dos brasileiros que convivem com o TDAH desde jovem. Em um diálogo com o Dr. Drauzio Varella, na série no Fantástico “Tudo ao mesmo tempo”, ele abriu o coração sobre as dificuldades que enfrentou e ainda enfrenta por conta do transtorno.


O músico, que foi diagnosticado com o transtorno na adolescência, contou que já chegou a pensar que tinha algum tipo de deficiência, já que por muito tempo não sabia do TDAH.

Segundo ele, sempre se distraía com muita facilidade enquanto tentava focar. Por não conseguir se controlar, sua autoestima acabou afetada, e ele sentia uma frustração constante, acompanhada de uma sensação de “como que eu não entendo?”

O filho de Fábio Jr também revelou que, se alguém lhe perguntar o que comeu no almoço, ele não se lembra, precisa tirar um tempo pra pensar e ainda assim pode ficar em dúvida. Embora na fase adulta ele já tenha melhor consciência do seu diagnóstico e como conviver com ele, na infância, ele passou por um período muito complicado, especialmente no relacionamento com os colegas.

Este ano, numa conversa com o rapper Projota, no reality Big Brother Brasil, Fiuk contou que sempre sofria muito bullying na escola. Ele comentou que os meninos “acabavam” com ele e que as meninas sempre tinham dó, e não conseguia ter amigos.


Por conta disso, sempre tinha de se isolar, sentado no canto da sala de aula. Além das dificuldades de relacionamento, Fiuk também tinha grandes dificuldades de aprendizagem, tendo de repassar os estudos em casa, com ajuda da mãe. No Brasil, segundo informações do Fantástico, são quase 6 milhões de pessoas entre 18 e 59 anos convivendo com o TDAH.

Casal que tem 16 filhos revela que não usa anticoncepcionais e não pretende parar: “Uma bênção”

Artigo Anterior

Mãe perdoou homem que matou sua filha e lutou para que não fosse preso: “Não é um criminoso”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.