ColunistasReflexão

Foi ali, na beira do mar, que eu me abri e pedi que tudo de ruim fosse embora…

FOI ALI NA BEIRA DO MAR QUE EU ME ABRI E PEDI capa e dentro

Leia ouvindo: Sufjan Stevens – Should Have Known Better 



Foi ali na beira do mar que eu me abri e pedi que tudo de ruim fosse embora.

A gente sabe quando precisa pedir ajuda para passar por desafios que estão por vir. Joguei tudo de ruim que estava em mim ali, nas ondas, e pedi para o mar levar embora. Existem aqueles períodos da vida que tudo que a gente mais quer é se limpar, tirar a lama acumulada da caminhada feita até agora. Foi o meu dia de pedir, foi o meu pedido para o novo, foi a minha escolha.

Quando a gente decidi limpar a sujeira, precisa se preparar para tudo que está por vir. A queda de amigos falsos, o afastamento natural de pessoas que não batem mais com a nossa energia, o encontro com novas pessoas, as boas notícias que vão insistir em chegar e as decepções que devem ficar para trás.


Nunca é fácil, mas precisamos pensar que será um período. Depois que passa a gente agradece! Joga flores no mar, veste branco, enfeita a casa e muda móveis de lugar. Tudo muito bem orquestrado pela nova vida que chegou.

Aquilo que a gente achava que era bom, não é mais. Quem a gente achava que era amigo, não é mais. Tudo que a gente acreditava estar no lugar, não está mais. Vida que segue. Jogo das cadeiras para quem fica.

O segredo é acreditar na transformação, no amor que carregamos no coração, no fio de esperança que a gente agarra e principalmente nas mudanças que a vida insiste em fazer.

A vida está aí para quem tem coragem de tirar a lama acumulada e enfrentar as profundezas da verdadeira limpeza.


A busca pelo fôlego é eterna. Você terá inúmeras vezes a sensação que nadará e morrerá na praia, mas lembre-se sempre daquele fio de esperança e agarre nele. Mesmo sem esperanças. Esperança e fé se confundem o tempo todo, talvez por ser praticamente a mesma coisa.

Na beira do mar eu chorei, mas nunca me vi tão feliz. Na beira do mar eu sofri, mas também sorri. Na beira do mar eu pedi, e tenho certeza que me ouvi.

Esperança meu amor, esperança.

Juliana Manzato


Fingir não te amar, foi a coisa mais difícil que eu já fiz…

Artigo Anterior

Carta para você, moça bonita, que ainda insiste em chorar de madrugada…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.