3min. de leitura

Foi no coração que eu aprendi a confiar desde cedo

A importância da gente se ouvir e se respeitar mais.


Eu não sei quantas pessoas vão realmente ler esse texto ou mesmo se vai fazer algum sentido para quem o ler, mas existem certos momentos em que a gente precisa desabafar para não implodir, para não se sabotar de um jeito em que não exista mais retorno, principalmente quando a ansiedade e a depressão ficam ali, esperando qualquer motivo para envolver alguém por completo, porque é assim que elas incomodam e sufocam.

Mas estou aqui para dizer e também ouvir: existe luz no caminho e coisa boa vindo por aí.

É assim que aprendi a lidar diariamente com as emoções negativas: resistindo e insistindo nas minhas melhores atitudes em relação ao dia que se inicia e termina, buscando distribuir gentilezas, mesmo as pequenas, para todos os lados em que caminho. Eu, quando boto no coração que preciso mudar, que preciso, no mínimo, tentar, não há cabeça que me faça pensar duas vezes, ainda mais se for a minha.


Foi no coração que eu aprendi a confiar desde cedo. E até nas vezes em que desconfiei das suas maturidades sentimentais, não era ele que estava errado ou confuso, era eu mesmo. Então, resolvi desabafar com vocês sobre a importância de a gente se ouvir e se respeitar mais, mas começando pelo lugar que importa, que resolve todo o restante, quando a gente não faz ideia de como dar conta.

É no coração que mora a nossa maior força, é nele que a intuição da gente aflora e diz o que precisa ser feito para se alcançar a felicidade, a cobiçada paz de espírito.

Venho lutando contra os meus desconfortos emocionais há algum tempo e, além dos óbvios tratamentos e recomendações, o que mais me ajuda é não me perder de vista, é não desconsiderar as minhas perdas, os meus ganhos, as minhas derrotas, as minhas vitórias, os meus defeitos, as minhas qualidades, enfim, o pacote completo.


Logo, quero dividir com vocês o quanto é bom passar um dia que seja sorrindo, sorrindo para o amor, sorrindo para os estranhos, sorrindo para as possibilidades de interações e sonhos que se quer realizar e a vida apresenta. Hoje foi um desses dias. Houve uma inércia na cama pela manhã.

Mas com calor e tudo fui adiante, fui ver rua, fui ver pessoas, fui produzir, fui criar. Termino o dia agora energizado, e você?

 

Direitos autorais da imagem de capa: Stefan Stefancik/Unsplash.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.