Notícias

Missionário revela abandono de aldeias ao mostrar foto de criança yanomami desnutrida

5

Menina foi tirada da comunidade onde morava cinco dias depois que a foto foi feita. Ela está internada no Hospital Santo Antônio, em Boa Vista.



Uma criança indígena yanomami com sinais claros de desnutrição foi fotografada por uma pessoa que não foi divulgada, mas o missionário Carlo Zacquini mostrou a foto, que foi tirada numa comunidade Maimasi, em uma região de difícil acesso na floresta amazônica.

De acordo com informações do G1, o missionário evidencia a falta de assistência a comunidades que vivem na terra indígena yanomami, a maior do país, segundo ele. A situação retrata bem o abandono nas aldeias.

Carlo não revelou quem flagrou a cena, para que evite represálias ao autor da foto. Afirma que a menina tem idade entre 7 e 8 anos e foi diagnosticada com malária, pneumonia, verminose e desnutrição.


A imagem chegou a ser capa da edição da Folha de S. Paulo. Carlo declarou que faz alguns meses que ele escuta pessoas falando sobre a situação na Terra yanomami, porém, ninguém se dispõe a falar, por medo.

As aldeias estão completamente abandonadas, sem assistência, onde não há equipes. Os postos de saúde estão fechados há meses. Mesmo sendo a maior reserva indígena no Brasil, os cuidados são escassos, com falta de medicação e muita dificuldade para consegui-los e distribui-los para os indígenas.

Carlo afirma que a situação de falta de remédio lhe foi revelada por diversas pessoas da área, e não é algo único, não há estoque nem para as verminoses. O Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami foi procurado para prestar esclarecimentos, e informou que há quantidade suficiente para suprir as demandas de todos os polos. Em caso de surtos de malária, sempre são enviados medicamentos extras para que não desfalque o estoque.

A criança foi removida da comunidade e levada para o hospital cinco dias depois que sua foto foi feita. Ela continua internada, passando por tratamento e o estado de saúde é estável. A família está sendo acompanhada pela equipe de saúde na Casa de Apoio à Saúde indígena, de acordo com o Ministério da Saúde.


A comunidade Maimasi tem cerca de 800 indígenas que habitam a localidade. O líder, Dário Kopenawa Yanomami disse que atualmente há um surto de malária na região e isso implica outras doenças, como a desnutrição. O combate à malária está prejudicado pela falta de profissionais e o líder pontuou que o governo não está preocupado com os problemas que os indígenas estão enfrentando hoje em dia e que a foto da menina mostra como estão esquecidos.

Depois de presenciar agressão, jovem mata ex-namorado da mãe com 32 facadas

Artigo Anterior

Atiradores invadem escola e matam alunos e professor na Rússia

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.