4min. de leitura

GASTAR DINHEIRO EM EXPERIÊNCIAS, EM VEZ DE COISAS, VAI TE FAZER MUITO MAIS FELIZ!

Dizem que o dinheiro não pode comprar felicidade, eu sempre tive um problema com esse pensamento. O dinheiro pode definitivamente comprá-lo felicidade, mas depende de como você utiliza o dinheiro. Se você usar dinheiro para embalar sua casa de coisas caras, tudo o que terá será um monte de coisas distrativas ou confortáveis. Mas se você usar seu dinheiro para ter experiências é outra história.


Quando você está prestes a partir, o que os diamantes e TVs de plasma significam para você? Será que eles têm alguma importância? Ou será que as experiências que você teve com seus entes queridos trarão um sorriso ao seu rosto?

Esse show super incrível que você foi com seu parceiro ou amigos. Um estudo publicado no Journal of Positive Psychology mostra que as pessoas que compraram produtos caros viram uma desvalorização imediata do valor do item após a compra. Mas com investimentos experimentais foi diferente.

Seu estudo descobriu que as pessoas preferem investir dinheiro em experiências, ao invés de em coisas, e que quase sempre se arrependiam de comprar coisas caras e modernas.


Pesquisas adicionais da Universidade de Cornell mostram que os Millennials são mais tentados a fazer compras com base na influência da sociedade – coisas como novos celulares e roupas. Mas não é culpa deles. Eles são produtos da sociedade, assim como os produtos que compram. Estamos muito constantemente envolvidos em mídias sociais. Todo mundo está intensamente focado em autopromoção.

“Nós compramos coisas para nos fazer felizes e conseguimos, mas só por um tempo”, diz o Dr. Thomas Gilovich, professor de psicologia na Universidade de Cornell. “Novas coisas são emocionantes para nós no início, mas depois nos adaptamos a elas.”

O que não quer dizer que você não deve comprar-se o mais novo aparelho eletrônico, se tiver condições, mas entenda que você não deve esperar qualquer tipo de alegria a longo prazo de aparelho.


“Nossas experiências são uma parte maior de nós mesmos do que nossos bens materiais”, diz Gilovich. “Você pode realmente gostar de suas coisas materiais. Você pode até pensar que parte de sua identidade está ligada a essas coisas, mas mesmo assim elas permanecem separadas de você.

“Em contraste, suas experiências realmente são parte de você, somos a soma total de nossas experiências.”

No final, o ponto é que devemos considerar a utilização do dinheiro que temos na vida para pagar por experiências incríveis com as pessoas que amamos. Faça as coisas que você realmente quer fazer. Viva inteiramente. E no final de sua vida, você será capaz de sorrir por tudo o que viveu.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Higher Perspectives





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.