Goste de quem gosta de você, simples assim



Vamos gostar de quem nos quer bem, seja para uma amizade ou para um relacionamento. A gente não precisa bater a cabeça no muro da indiferença, não precisa ‘vencer as torres e os dragões’ por algo que não vale qualquer esforço. 

Há quem afirme que ninguém manda em quem o coração vai gostar. Sim, nisso concordo, mas também concordo que podemos repensar nossa maneira de enxergar as pessoas ao nosso redor, podemos rever nossos comportamentos e deixar de complicar muitas coisas, como passar a agir reciprocamente com pessoas que nos querem bem.

Essa história de eu gosto de quem não gosta de mim também pode ser um lance de criar uma loucura de querer algo que se mostra impossível desde o início. Você acha que as diferenças são a magia da paixão, mas, no fundo, pense comigo, as diferenças interessantes mesmo são aquelas de gostos, de comportamentos, mas de alguma maneira, a visão de mundo precisa ser bem parecida.

 

Se nunca assistiu ao filme “Será que?”, vale a pena mergulhar na história. Você vai ver a aproximação descontraída de Wallace (Daniel Radcliffe) e Chantry (Zoe Kazan), que se tornam amigos quase de imediato. Chantry mora junto com o namorado e Wallace terminou um relacionamento após descobrir uma traição. Apesar dos caminhos diferentes, eram muito parecidos, tão parecidos que quase no final se surpreendem com tamanha semelhança. 

A gente precisa aprender a ouvir algo muito valioso conhecido como intuição, que nos faz enxergar a realidade tal como é, mas de uma maneira que abrange os sentidos, é aquele ‘será que eu estou sentindo certo?’. Sim, você está sentindo certo. ‘Será que é isso mesmo que eu estou vendo com os meus olhos?’. É exatamente o que está vendo. 

Em muitos momentos somos nós mesmos que deturpamos a realidade, que colocamos uma pitada surreal nos fatos. Somos nós que piramos, o outro estava lá, apenas sendo o que é, e nós vimos o que queríamos ver, muitas vezes fantasiamos. 

O caminho pode ser muito mais suave do que essa doideira que a gente inventa, a gente tem aquela ideia fincada do que é ‘impossível’ e dá certo no fim das contas.



A gente acha que é preciso sofrer muito para algum dia ser feliz, porque é assim que é, mas a gente não precisa sofrer, não precisamos cultuar o sofrimento. 

Goste de quem gosta de você, de quem compartilha da mesma visão de mundo que a sua, de quem realmente se importa com você, seja se está com fome, com sede, se está se sentindo triste por alguma razão que não queira falar. Goste de quem o trata como um pedaço de bolo bem quente que acabou de sair do forno. De quem o entenda como você entende até a respiração de quem ama. Sabe quando a gente conhece a pessoa pelos passos? 

Vamos gostar de quem nos quer bem, seja para uma amizade ou para um relacionamento. A gente não precisa bater a cabeça no muro da indiferença, não precisa ‘vencer as torres e os dragões’ por algo que não vale qualquer esforço. 

Vamos ser verdadeiros, começando com a gente, vamos oferecer o nosso melhor a quem nos oferece o melhor, e se for o contrário, se somos nós quem oferecemos primeiro, vamos aprender a entender como a realidade se apresenta.

Em caso de descaso, aprenda a virar a esquina e não olhar para trás. Goste de quem gosta de você, simples assim.


Foto de capa: Reprodução do filme “Será que”?

 






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.