Pessoas inspiradoras

“Grato por ajudar”: homem ajuda mãe solteira de 10 filhos, que foi despejada, a abrir negócio próprio

Lee Khai Loon ajudou Kak Ros a se reerguer, ajudando-a a se aventurar e abrir uma barraca de comida, local que hoje sustenta toda sua família.



A maternidade vai muito além de amor e carinho, e envolve, principalmente, responsabilidade, cuidado, atenção e trabalho árduo. Engana-se quem pensa que criar filhos é fácil ou que é da natureza feminina, sempre colocada como alma cuidadosa e submissa.

As mães lutam com o que têm nas mãos para dar o melhor aos filhos, buscando garantir um futuro com mais oportunidades, mais portas abertas e a barriga sempre cheia. Passar necessidades, tendo filhos sob sua responsabilidade, é uma das maiores dores e angústias que um indivíduo pode sentir.

Aquele ser que nasceu para ser protegido por seus pais e responsáveis está vulnerável, precisando de ajuda.


Na Malásia, um caso parecido foi publicado nas redes sociais. A mãe solo de 10 crianças, Kak Ros, foi despejada porque não tinha mais dinheiro para pagar o aluguel da casa onde vivia com seus filhos.

A pandemia a acertou em cheio, e com tantos filhos para alimentar, as economias acabaram rapidamente, deixando-a sem alternativas.

Lee Khai Loon, um político local, soube da triste história dessa mãe e decidiu juntar forças para ajudá-la. Quando se encontraram pela primeira vez, Kak Ros tinha apenas R$53 no bolso, valor ínfimo perto da quantidade de gastos que ela tinha, e não tinha nenhuma perspectiva de receber outro valor.


Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

O membro do Parlamento de Bukit Mertajam, Steven Chee Keong, agiu rapidamente, alugando uma casa e levando a família toda para comprar comida. Aquelas eram as demandas mais urgentes, e foram prontamente atendidas. Foi quando Lee Khai perguntou se Kak Ros estava interessada em se aventurar em um negócio próprio.

Ela estava confusa e em silêncio, segundo publicação do político, e explicou que não tinha como arranjar o capital inicial, ou seja, jamais conseguiria começar um negócio do zero tão cedo. Lee decidiu oferecer a ela o dinheiro necessário, e lhe perguntou novamente se era do seu interesse.


Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

A conversa foi mudando de tom, e durante o diálogo estabeleceram que ela deveria se envolver no negócio de alimentos, produzindo comidas típicas da região, como mee kuah, frango frito, lai chee kang e pasembur. Em pouco tempo, o homem falou com seus contatos pessoais, e logo arrumou uma barraca para a mãe em uma das feiras mais populares e históricas da região, Bazaar Ramadhan Alma.

Lee comprou tudo que ela precisaria para começar, os utensílios de cozinha e todo alimento necessário, além dos eletrodomésticos. Kak Ros decidiu começar essa nova jornada para mudar o destino de sua família. Como os filhos mais velhos também estavam desempregados, todos decidiram ajudar, deixando o ambiente ainda mais familiar.


Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

O homem explica que quer garantir que Kak Ros seja independente, que consiga uma renda estável, por isso, comprometeu-se a seguir ajudando e orientando-a no que puder, tudo para que a barraca seja bem-sucedida. Quando conheceu aquela mãe, Lee notou que ela estava profundamente perdida e desesperada, necessitando de alguma ajuda.

Mas Kak Ros se transformou completamente, e a cada dia desenvolvem mais autoconfiança, em busca da independência.


Lee afirma que se sente muito grato pela sorte de fazer parte desse processo e participar um pouco do esforço familiar para mudar de vida. Hoje, segundo a publicação, a mãe consegue faturar cerca de R$1.100 líquidos por dia.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

Kak Ros precisava de uma oportunidade, e conseguiu! O que você achou desta matéria?


Comente abaixo e compartilhe-a nas suas redes sociais!

Por conta de seu peso, mulher é humilhada por motorista: “Você vai precisar de um táxi maior para caber”

Artigo Anterior

Mulher que perdeu emprego na pandemia relata insatisfação do marido: “Reclama que ele paga por tudo”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.