Comportamento

Após mal estar inesperado, Gusttavo Lima é levado às pressas para hospital, em Goiânia

Foto: Reprodução
Gusttavo Lima da entrada em hospital de Goiania apos mal estar capa

Mais tarde, a assessoria do cantor informou aos fãs preocupados que o “Embaixador” havia sofrido um caso de intoxicação alimentar.

O cantor Gustavo passou mal durante a madrugada de 28 de março de 2022 e foi levado ao Hospital do Coração Anis Rassi, em Goiânia, às pressas. Depois de alguns momentos de susto, onde seus fãs especulavam qual teria sido o motivo da correria, a assessoria de imprensa do “Embaixador” informou que ele teve uma intoxicação alimentar. Após ser atendido, o artista foi liberado para recobrar a saúde em sua casa.

A assessoria de imprensa informou que a agenda de shows não será alterada por causa da intoxicação, já que o artista se sente bem, o que alivia o coração de fãs e admiradores que ficaram se questionando qual seria o estado de saúde de seu ídolo.

De acordo com informações do portal de notícias G1, Gusttavo Lima foi atendido pelo médico Adilon Cardoso ao chegar a Goiânia após fazer show em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, no domingo anterior ao seu mal estar.

O artista mora em Goiânia, onde buscou atendimento médico. Ele tem dois filhos com a modelo Andressa Suita.

2 Apos mal estar inesperado Gusttavo Lima e levado as pressas para hospital em Goiania

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @gusttavolima

Gustavvo já foi internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, anteriormente, quando sentiu dores abdominais, náuseas e vômito, em 29 de março de 2015. Quatro dias depois, ele recebeu alta.

No hospital, o embaixador tomou soro e vitaminas e foi liberado para ir para casa, mostrando que tudo não passou de um susto. Segundo o artista informou a coluna do jornalista Leo Dias, ele acreditava que teria passado mal devido a algum alimento que havia ingerido, dizendo que aquilo “não tinha batido bem”, por isso procurou o hospital para se tratar o quanto antes.

3 Apos mal estar inesperado Gusttavo Lima e levado as pressas para hospital em Goiania

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @gusttavolima

Entenda a intoxicação alimentar

O sufoco que o “Embaixador” passou pode ser mais comum do que parece, visto que a intoxicação alimentar pode ser contraída na ingestão de diversos tipos de alimentos.

A infecção no organismo pode durar de um até 10 dias, causando sintomas como diarreia, náusea, vômitos, dor de cabeça, febre e desidratação. E, em alguns casos, como aconteceu com Gusttavo, pode levar à internação.

Alguns tipos de comidas têm mais chance de fazer mal e provocar a infecção do que outras, por isso é preciso se informar para não comer nada que lhe faça mal.

Cuidados básicos de higiene das mãos, assim como na manipulação dos alimentos, são essenciais.

Uma das armadilhas que pode levar a infecção são os legumes e frutas pré-cortados ou pré-lavados, pois apesar das praticidades, alimentos que já foram embalados e pré-lavados devem ser evitados. Quanto mais processada e manipulada for a comida, maior a chance de contaminação. São comuns ainda infecções provenientes de brotos de feijão, alfafa, trevo e rabanete crus vendidos em embalagens.

As carnes mal passadas também podem ser vistas como uma infecção esperando para acontecer, principalmente se não forem manuseadas, armazenadas e preparadas. Elas precisam estar bem cozidas para evitar a contaminação e para ter menos chance ainda de se contaminar, tente comer o menos possível qualquer carne cuja procedência você desconhece.

Por fim, na questão das proteínas de origem animal, não podemos esquecer também dos riscos que os frutos do mar podem representar para a nossa saúde. O consumo de frutos do mar mal armazenados ou manuseados pode causar infecções intestinais graves. Por isso, evite consumir comida japonesa em locais desconhecidos e com má higiene, ostras vendidas na praia sem estarem refrigeradas ou peixes velhos, com cheiro forte e aspecto mole ou gelatinoso.

Um tipo específico de bactéria, os vibriões provocam alguns dos quadros mais sérios de intoxicações gastrointestinais. Há ainda uma cepa específica da bactéria – a Vibrio vulnificus – que causa a morte de uma em cada quatro pessoas infectadas.

0 %