Comportamento

Depois de salvar vítima de acidente, homem é demitido por chegar atrasado ao trabalho: “Me coloquei no lugar”

Robsom Santos estava em período de experiência na empresa em que trabalhava e o atraso foi o que motivou sua demissão.



Não é sempre que vemos boas ações acontecendo ao nosso redor, não são todas as pessoas que se dispõem a ajudar o próximo. Muitos estão tão ocupados, presos em seus pensamentos e suas obrigações, que nem sequer cogitam olhar para o lado ou reservar um tempo para ajudar o outro. Nossas rotinas frenéticas nos impedem de nos conectar uns aos outros, criando grandes elos e grupos comunitários, coisa que acontecia mais no passado.

Mas algumas pessoas não pensam duas vezes e preferem ajudar o próximo, mesmo que isso lhe renda uma punição. Robsom Santos, de 35 anos, estava indo para o trabalho, na segunda-feira, dia 8 de fevereiro, pela rodovia Rio-Santos, quando presenciou uma ultrapassagem mal-sucedida que resultou num gravíssimo acidente de carro. O motorista perdeu o controle de seu veículo e capotou sucessivas vezes; e Robsom assistiu ao acidente, enquanto pilotava sua moto.

Direitos autorais: reprodução G1/Robsom Santos.


Depois da capotagem, o carro caiu em uma vala localizada numa área de mata. Quando Robsom chegou ao veículo, percebeu que ele estava parcialmente submerso, pois havia água na vala. Ele automaticamente pensou nos riscos de o motorista se afogar, caso continuasse preso às ferragens, por isso decidiu retirá-lo dali.

Robsom perguntou se havia alguém consciente dentro do automóvel, o motorista respondeu que sim e estava sozinho. Então pediu que a vítima tirasse seu cinto de segurança para que ele pudesse ajudar na sua remoção, já que o carro era muito pesado para ser virado. Logo mais, dois outros homens apareceram, prontos para ajudar, o que facilitou o resgate. O homem foi colocado ao lado do automóvel para aguardar as equipes especializadas.

O homem conta que o motorista estava em choque com a situação, sentindo muito medo. Assim que percebeu que tudo ficaria bem, Robsom foi para o trabalho, mas estava cumprindo o período de experiência na empresa, o que resultou em sua demissão.

Ele imaginava que poderia sofrer esse tipo de punição, mas conta que tomou a decisão certa, e não faria diferente.


Robsom Santos revela estar feliz com a repercussão e o desfecho do caso, já que muitas pessoas o elogiam pela bondade demonstrada naquele momento e pelo fato e o motorista ter ficado bem. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a vítima sofreu apenas ferimentos leves e foi encaminhada ao Hospital Municipal de Bertioga.

Robsom conta que o que o motivou foi lembrar de seus dois filhos; mesmo sem saber se o motorista era pai ou não, seu principal intuito era ajudá-lo.

O que você acha desse caso?

Compartilhe com seus amigos e nas suas redes sociais!


 

Sem-teto de 75 anos morre na Itália e deixa casa, ações e mais de R$ 600 mil em banco

Artigo Anterior

Com mais da metade da população imunizada, Israel retoma economia e reabre estabelecimentos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.