Animais

Homem decide adotar apenas animais idosos e com deficiência: “Incrivelmente recompensador”

Hoje Steve já tem mais de 10 cachorros, um peru, galinhas, coelhos, patos e um porco. Toda essa jornada com tantos animais idosos é narrada em sua conta nas redes sociais.



Algumas pessoas nutrem um amor tão profundo pelos animais que chega a ser incrivelmente recompensador ouvir suas histórias. Sem dar importância para aparência, raça, idade, se possuem ou não deficiência, elas adotam por acreditar que os animais são companheiros, amorosos e os únicos capazes de garantir aquele quentinho no coração.

Não são todos que possuem tempo, espaço ou poder aquisitivo para dar conta de muitos animais, mas alguns indivíduos têm tudo isso e ainda disposição para cuidar dos pequenos, que talvez nunca seriam adotados. Steve Greig é uma dessas pessoas. Extremamente apaixonado pelos animais, ele administra uma casa com mais de 10 cães idosos, peru, galinhas, patos, coelho e um porquinho. Loucura demais? Não para Steve.

A história de Steve Greig não começa bonita, como imaginamos. Em uma reportagem do Today, ele contou que começou a adotar animais em 2013, quando uma coisa terrível aconteceu. Ele tinha um pequeno cãozinho, seu companheiro de muitas aventuras e do dia a dia, Wolfgang mas, infelizmente, um atropelamento fez com que a vida de seu amigo chegasse ao fim mais cedo.


Direitos autorais: reprodução Today/Steve Greig.

A amizade de Steve e Wolfgang era algo difícil de descrever, mas eles eram completamente inseparáveis. Por mais de 12 anos, eles cultivaram uma cumplicidade que ia muito além do simples relacionamento entre um cuidador e seu dono, eles viajavam juntos, andavam de caiaque, a cavalo, remavam no oceano e até a casamentos foram. Steve conta que ele era apaixonado por bolos de aniversário e que, toda vez que comemorava o seu, fazia questão de sempre cortar um pedaço para seu amigo, independentemente de onde estivesse.

De luto pela ausência de Wolfgang, Steve decidiu, depois de alguns meses, que precisaria de algo realmente bom para conseguir lidar com essa morte.

Então foi a um abrigo de animais e adotou o cachorro mais velho que havia, um chihuahua com sopro no coração e quatro joelhos que não funcionavam. Ele chamou o pequeno de Eeyore, que em português poderia ser facilmente traduzido para “bisonho”.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@wolfgang2242.

Steve explica que a cura foi imediata, e foi quando percebeu que era isso o que deveria fazer. A partir de então, passou a adotar apenas animais idosos, que nunca conseguiriam um lar. Tudo foi acontecendo de forma natural. Um dia ficou sabendo de um cão que precisava de uma casa, depois de outro, e assim sucessivamente, até chegar à atual situação.

Em sua conta no Instagram, Steve faz questão de narrar suas experiências em seu zoológico particular, retratando de forma incrivelmente engraçada as belezas de se adotarem animais idosos.

Segundo ele, é extremamente recompensador, são animais esquecidos em abrigos e, por vezes, condenados à morte, mesmo se ainda tenham muito amor para oferecer.


Alguns animais já são protagonistas das narrativas de Steve, como Tofu, o peru que até estufa tem para poder viver tranquilamente. Sempre que alguém passa diante do portão, faz questão de conversar com ele, que ama tagarelar com os vizinhos e fãs. Bikini, a porquinha não tão pequena assim, dorme em uma cama de princesa, na cozinha, e é extremamente apaixonada por Enoch, um cão-lobo irlandês, de 11 anos.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@wolfgang2242.

A rotina, embora pareça extremamente divertida, também demanda muito tempo. Steve, que trabalha como contador em tempo integral, precisa acordar todos os dias à 4h45 da manhã para conseguir ministrar a medicação de todos os animais que moram com ele, isso porque são idosos e muitos já chegam doentes.

Duas vezes na semana, ele volta para casa na hora do almoço para ficar com os animais, e três vezes na semana, a cuidadora Michele Blazovic o ajuda nessa empreitada. Steve conta que ela ama os animais tanto quanto ele, o que demonstra o comprometimento que a profissional tem com os idosos, que precisam de atenção diferente dos demais animais.


Você pode estar pensando que deve ser muito difícil cuidar de tantos bichinhos, ainda mais idosos, mas Steve revela que só consegue ter tantos animais justamente porque eles são mais velhos.

A idade faz com que a energia e vitalidade diminua, por isso os cachorros não agem como filhotes ou jovens, destruindo tudo o que vêm pela frente.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@wolfgang2242.

Para Steve, a melhor coisa que uma pessoa pode fazer é adotar um animal velho, e ele fica sempre emocionado, quando recebe mensagens nas redes sociais de pessoas que decidiram adotar sêniores justamente por influência dele. Os cães idosos se adaptam ao estilo de vida de muitas pessoas, são mais tranquilos e, segundo o contador, ótimas companhias.


O que você achou da história de Steve?

Compartilhe com seus amigos e nas suas redes sociais para todos conhecerem-na!

Casal encontra cadela perdida em montanha, carrega-a por 10 km e localiza sua família!

Artigo Anterior

Jovem compra toda a mercadoria de vovô, de 93 anos, que trabalha nas ruas. O enxergou com amor!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.