5min. de leitura

Homem larga emprego para cuidar do filho doente e tem dívida de R$ 49 mil perdoada por juíza

Adolfo Guide é um homem exemplar, que frente às dificuldades da vida de seu filho, provou que é um pai de verdade, que não se importa em abrir mão de coisas para si, se isso significar que seu filho estará bem.

A partir da concepção de um filho, pai e mãe têm uma responsabilidade vitalícia com ele. Eles são os responsáveis por oferecer tudo o que o filho precisa, até que esteja grande o suficiente para caminhar com as próprias pernas e escolher a maneira como deseja viver a própria vida.


No entanto, mesmo depois que alcançam a independência, a preocupação e cuidado dos pais permanece, já que sempre farão de tudo para que os filhos sejam felizes e bem-sucedidos, não importando a sua idade.

Em alguns casos, os pais têm que permanecer no posto de cuidadores por mais tempo, quando os filhos possuem alguma condição que os impede de cuidarem das próprias vidas sozinhos. Em situações como essa, a dedicação e o amor deles é essencial para que os filhos possam ter qualidade de vida.

Adolfo Guide é um homem exemplar, que frente às dificuldades da vida de seu filho, provou que é um pai de verdade, que não se importa em abrir mão de coisas para si, se isso significar que seu filho estará bem.


Há alguns anos, descobriu que o filho Vitor sofre de uma doença rara chamada Gangliosidose Gm1, causada pela falta de uma enzima fundamental para a reposição de células cerebrais.

O pai largou o trabalho para cuidar do filho e também para encontrar uma cura para sua condição, e a falta de renda resultou em uma grande dívida. As prestações da casa em que moravam, que custava R$ 500, se acumularam por muito tempo, o que deixou Adolfo com uma dívida beirando os R$ 49 mil.

Um tempo depois, Adolfo tentou voltar ao mercado de trabalho, mas não conseguiu um emprego, então começou a trabalhar por conta própria em uma oficina improvisada perto de sua casa, mas ainda assim a situação estava difícil, afinal, além de pagar a dívida, Adolfo também precisava cuidar do sustento.

Felizmente, ele teve um ajuda muito especial, que veio da juíza Anne Karina Stipp Amador da Costa, titular da Vara do Sistema Financeiro de Habitação de Curitiba. Ela entendeu a gravidade da situação em que se encontravam, e resolveu ajudar.

Anne encaminhou um ofício para a Vara Criminal de Curitiba, pedindo a utilização de recursos do órgão para possibilitar uma conciliação no âmbito do Sistema Financeiro de Habitação.


Depois de um longo tempo junto ao Ministério Público Federal, a dívida de Adolfo foi perdoada e foram disponibilizados valores decorrentes de depósito de prestações pecuniárias e suspensão condicional da pena – valores pagos por pessoas condenadas na Justiça – para a quitação da dívida de R$ 48,5 mil.

“É um caso excepcional. Sentimos que ele não teria outra alternativa para quitar a dívida. Ele abriu mão da carreira profissional para cuidar do filho. Como ele também trabalha com a oficina mecânica, se perdesse o imóvel, além da moradia, perderia também sua fonte de renda.”, disse a juíza, que acredita que essa decisão pode abrir as portas para que outros casos como o de Adolfo possam ser tratados da mesma maneira.

Abaixo está uma reportagem sobre o caso. Confira!

Uma grande atitude da juíza Anne Karina, que mostrou uma grande empatia e bondade!

Compartilhe essa boa notícia com seus amigos!


Direitos autorais da imagem de capa: Divulgação.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.