Pessoas inspiradoras

Homem que doou sangue por quase 50 anos já ajudou salvar a vida de 4 mil pessoas!

capahomem que doou sangue por quase 50 anos ja ajudou salvar a vida de 4 mil pessoas

Um feito impressionante, que será passado para a frente dentro de sua família. Confira essa história tão especial!



A doação de sangue é um hábito de milhões de brasileiros, muito incentivado pelo desejo de fazer a diferença para pessoas que estão lutando pela vida. No entanto, muitas vezes, passamos anos doando sangue regularmente sem fazer ideia do quanto estamos ajudando as pessoas. O caso que trazemos hoje ajuda a conscientizar da importância desse gesto.

Arnaldo Fernandes Santana é um baiano que tem uma história incrível como doador. No ano passado, o portal da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), fez uma publicação na qual contou um pouco sobre ele.

Arnaldo é a pessoa com mais tempo de doações no estado da Bahia, inclusive a última vez foi em dezembro de 2020, encerrando um ciclo de doação de 49 anos. O homem somente interrompeu esse processo porque estava às vésperas de completar 70 anos, idade-limite para doação sanguínea e de plaquetas.


Nesse quase meio século, foram 294 doações de sangue total e 444 de plaquetas. Cada bolsa de sangue beneficiou quatro pessoas. Uma matéria do g1 contou que a estimativa é que as doações de Arnaldo tenha ajudado a salvar quase 4 mil vidas.

O homem, que trabalha com contabilidade, começou a doar por causa de um colega de trabalho, cujo pai estava internado, precisando de sangue para uma cirurgia. Nesse dia, ele conversou com os profissionais envolvidos e se tornou um doador frequente e comprometido.

2homem que doou sangue por quase 50 anos ja ajudou salvar a vida de 4 mil pessoas

Direitos autorais: reprodução Facebook/Fundação Hemoba.

Além das próprias doações, Arnaldo também já levou cerca de 14 doadoras ao longo dos anos. Ele também confessou que, quando se deparava com os doadores na fila, já queria saber deles por que também não doavam plaquetas como forma de incentivá-los.


Fernando Araújo, diretor da Fundação Hemoba, esclareceu que o doador por aféreses (de plaquetas), como Arnaldo, garante uma ação mais efetiva no cuidado com a vida, e não poupou palavras para elogiar o idoso. Segundo Araújo, a existência de Arnaldo é um marco, tanto por sua regularidade quanto por seu tempo de doação, que mostra uma grande solidariedade. Em sua última doação, houve uma celebração da unidade e de seus funcionários.

Para esse evento, Arnaldo convidou Isabela Lago, uma das médicas mais antigas da Hemoba, que o atendeu nos últimos 25 anos. A profissional compartilhou que não se sentia triste em ver o colega doando pela última vez, mas sim feliz porque conheceu um doador com motivação de só fazer o bem às pessoas.

Apesar de Arnaldo não ter mais idade para doar, o seu compromisso com o salvamento de vidas está longe de acabar. Na entrevista ao G1, o baiano contou que levou o filho Allan Santana, de 16 anos, para fazer a primeira doação e dar sequência ao seu legado. Arnaldo explicou que o convenceu explicando o quanto a doação ajuda outras pessoas. Para o homem, ver o filho seguindo os mesmos passos despertou uma sensação de dever cumprido.

3homem que doou sangue por quase 50 anos ja ajudou salvar a vida de 4 mil pessoas

Direitos autorais: reprodução/TV Bahia.


A primeira doação de Allan contou com a autorização dos pais, já que ele não tem a idade mínima necessária para isso. O adolescente já tem grandes planos como doador. Ele considera o pai um herói, mas afirma que deseja bater o recorde de doações de 49 anos de Arnaldo.

Para Fernando Araújo, o exemplo do jovem é uma prova de que é possível construir uma consciência coletiva nas novas gerações de amor ao próximo e solidariedade. Que exemplo incrível! Desejamos que essa moda pegue cada vez mais!

Estimule sua visão: que outros animais existem nesta imagem além do cão?

Artigo Anterior

Irmão mais velho consola caçula durante birra e gesto viraliza. “Empatia”, disse a mãe

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.