Pessoas inspiradoras

Homem que vivia na rua e estudava sozinho conquista trabalho e casa durante a pandemia!

capahomem que vivia na rua e estudava sozinho conquista trabalho e casa durante a pandemia

Este brasileiro, que sempre gostou de estudar, deu a volta por cima nesta pandemia. Saiba mais!



Muitas vezes, quando vemos pessoas em situação de rua, nosso primeiro impulso é julgar, acreditando que elas chegaram nessa situação por estar envolvidas com coisas erradas e que não estão interessadas em mudar de vida.

Esse padrão de pensamento até mesmo nos impede de oferecer-lhes apoio e ajuda a perpetuar uma ideia que nem sempre é verdadeira. São diversos os motivos que levam alguém a acabar nessa situação, e muitas dessas pessoas se dedicam para conseguir reconquistar sua qualidade de vida.

Carlos Ulisses Gomes Figueira, de 57 anos, é exemplo disso. Uma matéria do Extra contou a história do homem que encarou uma das realidades mais duras da vida e conseguiu dar a volta por cima, tornando-se uma grande inspiração para as pessoas que vivem na mesma situação.


O homem, que é técnico em mecânica, com experiência de mais de 25 anos nas áreas de petróleo e gás, já trabalhou em plataformas de petróleo, refinarias, petroleiros e até mesmo na Odebrecht, recebendo salários que chegavam a R$ 10 mil.

No entanto, quando essas empresas viraram alvos da Operação Lava-Jato, a situação foi complicando e chegou o desemprego e a distância da família, levando-o para as ruas. Sem um lugar para morar, Carlos se abrigava sob a marquise do prédio da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro e vendia latinhas para sobreviver, ganhando, no máximo, R$ 40 por dia.

No entanto, com a pandemia, a situação se complicou e ele recorreu ao Bolsa Família, através do qual recebia R$ 91 por mês. O homem também foi contemplado pelo auxílio emergencial, o que ajudou a melhorar um pouco sua realidade.

2homem que vivia na rua e estudava sozinho conquista trabalho e casa durante a pandemia

Direitos autorais: arquivo pessoal.


Apesar de ter encarado essa grande mudança e conhecido o lado mais complicado da vida, Carlos nunca perdeu o amor pelo estudo, e o desejo de retomar a vida que levava antes da crise, e isso foi o que transformou a sua realidade.

Funcionários da Defensoria, que sempre viam o homem com um livro na mão, inscreveram-no no projeto “Acelerando a escolaridade”, através do qual se matriculou no curso de Administração de Empresas, e começou a assistir às aulas com ajuda de um celular e de um tablet, doados.

Carlos foi apoiado pelo projeto Amor de Rua, que consegue moradia para pessoas necessitadas, e está vivendo em uma quitinete na Lapa, bancada pelo projeto.

Depois de enviar currículos para vários locais, ele recebeu uma proposta de uma empresa em Santo André (SP), que assinou sua carteira. Ele começou a trabalhar como encarregado de caldeiraria industrial em 1º de abril e, em breve, se mudará para a cidade.


Atualmente, seu salário é de R$ 4,8 mil acrescido de 30% de insalubridade. Apesar dessa nova realidade, o homem não esquece de tudo o que passou e está sempre voltando às ruas e ajudando pessoas que vivem a mesma realidade pela qual passou, com apoio de voluntários que o auxiliaram a mudar sua história. Ele também pretende dar palestras para mostrar aos seus ex-companheiros de rua que “da mesma forma que Deus me abençoou, eles também podem ser abençoados”.

Sua vida mudou poderosamente graças ao seu trabalho duro e às grandes ajudas que recebeu pelo caminho. Sua história é uma inspiração e uma prova de que é possível mudar uma realidade difícil.

Nossos parabéns a Carlos e o desejo de que ele seja feliz e bem-sucedido em sua nova vida!

Compartilhe o texto nas redes sociais!


Fotógrafo capta os incríveis olhos azuis dos membros da tribo indonésia buton. Beleza única!

Artigo Anterior

Mãe viraliza ao publicar foto de ex e atual saindo da maternidade com filho recém-nascido

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.