Notícias

Hospital de referência para a Covid no Rio dá alta para último paciente e zera internações

Design sem nome

O Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, dará alta nesta segunda-feira (15) ao único paciente internado com Covid na unidade. É a primeira vez que o Ronaldo Gazolla, designado para ser referência no tratamento do coronavírus na cidade, zera o número de internados.



A alta está prevista para as 13h. O prefeito Eduardo Paes (PSD) e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, devem acompanhar a saída do paciente.

Em toda a rede de saúde do município, às 22h30 deste domingo (14) eram 40 pessoas internadas com Covid — o menor índice de hospitalização desde março de 2020.

A tendência é vista também em outros hospitais pelo país. Em São Paulo, no auge da pandemia, o Hospital Geral Vila Penteado, na Zona Norte da capital paulista, chegou a ter 55 leitos de UTI para pacientes com Covid. Hoje, são apenas 20, mas só três estão ocupados.


Reflexo da vacinação

De acordo com médicos e autoridades, essa diminuição dos números de Covid é um resultado direto do avanço da vacinação em todo o país. Segundo dados são do consórcio de veículos de imprensa divulgados às 20h deste domingo (14), perto de 59% da população brasileira está totalmente imunizada. São 125.380.340 doses aplicadas, número que representa 58,78% dos brasileiros.

Tomaram a primeira dose de alguma vacina contra a Covid e estão parcialmente imunizados 156.918.899 pessoas, o que representa 73,56% da população. A dose de reforço foi aplicada em 11.948.110 pessoas, ou 5,6% da população.

Somando a primeira dose, a segunda, a única e a de reforço, são 294.247.349 doses aplicadas desde o começo da vacinação.


Vacinação

Nesta segunda-feira, Feriado da Proclamação da República, não haverá vacinação contra a Covid-19 no Rio. Quem estava com a segunda dose agendada pôde se vacinar no sábado (13) e também pode se vacinar nesta terça-feira (16).

A vacinação retorna na terça-feira, quando, em primeira dose, serão vacinadas as pessoas com 12 anos ou mais, que ainda não tenham se vacinado. Isso vale até pelo menos o fim de novembro.

Desde o fim da semana passada, a Prefeitura do Rio está antecipando a segunda dose de Pfizer para pessoas com 12 anos ou mais (o intervalo foi reduzido para 21 dias ou mais para este público). A segunda dose das vacinas continua sendo aplicada normalmente na cidade, e não há falta de imunizantes.


A dose de reforço segue sendo aplicada em idosos, pessoas imunossuprimidas e profissionais e trabalhadores da saúde. Na terça-feira, é a vez de mulheres de 60 anos ou mais.

Até o dia 30 de novembro, estarão sendo vacinados com a dose de reforço os profissionais e trabalhadores da saúde que tomaram a segunda dose das vacinas no mês de maio.

Além deles, pessoas imunossuprimidas de 12 anos ou mais também podem tomar a dose de reforço. Elas devem apresentar comprovante de vacinação, documento de identificação e laudo médico digital do Cremerj com data inferior aos últimos 60 dias.


Bolsonaro vira alvo preferido dos humoristas do Casseta & Planeta na volta à TV

Artigo Anterior

Pai transforma o seu caminhão velho em personagem do filme Carros para aniversário do filho

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.