Comportamento

Humanização de pets: afinal, devemos tratar o pet como gente?

O recente fenômeno de humanização dos animais de estimação é recente, mas será que isso faz bem para eles?



Os animais de estimação estão em nossos corações. Em boa parte dos lares brasileiros existe um pet. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 44,3% das casas existe ao menos um cachorro e em 17,7%, pelo menos um gato.

Os números mostram que amizade e companheirismo são os principais requisitos da nossa relação com os pets.

Mas existe um segmento populacional que leva essa relação um pouco mais a sério. Os chamados “pais de pet” ou “mães de pet” vêm se tornando um movimento cada vez mais comum nas redes sociais, mostrando uma realidade diferente vivida nos lares onde existem animais.


Essa humanização dos animais é um fenômeno recente.

Com a emancipação das pessoas e a diminuição nas taxas de natalidade do país, muitas famílias depositam toda a parentalidade em um animal de estimação. Será que tratar um pet como gente pode causar algum dano à saúde dele?

Esse cuidado considerado até exagerado, algumas vezes, definitivamente tem beneficiado o mercado. É comum vermos o crescimento de pet shops e o aumento da linha de produtos para animais no país. O que antes era dominado por pequenos estabelecimentos locais, hoje tem recebido marcas estrangeiras e grandes conglomerados, o que mostra o interesse no mercado nacional.

Talvez a principal pergunta a ser feita seja: em que momento os donos passam a humanizar seus animais de estimação?


De forma bem simples, é até natural que algumas pessoas façam isso. A conexão que temos com os animais e o instinto sensorial deles levam a um relacionamento de muito amor e carinho, o que faz com que, por vezes, algumas pessoas queiram lhes oferecer mais do que uma simples casinha e um comedouro de plástico.

Alguns especialistas veem isso como uma forma que os seres humanos têm de compensar vazios ou pequenas falhas que percebem em si mesmos. Sentem vontade de preencher suas vidas com algo que lhes traga significado, por isso tratam seus animais assim.

É claro que nenhum dono de pet quer tratar mal seu pequeno companheiro de vida, mas alguns veterinários recomendam cuidado com a prática de humanização.

Os cães e os gatos possuem uma natureza que requer alguns cuidados básicos, um passeio no parque, uma alimentação que supra suas necessidades físicas e um lar adequado são pontos a se considerar.


Quando essa relação prejudica o reconhecimento do próprio animal como tal, talvez seja o momento de prestar atenção se existe algum exagero. Os animais precisam gastar energia, por isso nem sempre é recomendado que eles andem em cestinhas e bolsas, isso vai contra a a natureza do animal, de se movimentar livremente, prejudicando o organismo dele, que pode se tornar sedentário.

Outros especialistas dizem que o animal precisa manter contato com outros animais, claro, de forma saudável e segura. Mas é bom atentar se eles estão ficando muito tempo presos a uma coleira ou dentro de casa, essa interação tanto com a natureza quanto com outros animais é saudável e deve ser estimulada.

Outro ponto a ser levado em conta é a hierarquia.

Segundo os veterinários, é importante que exista um nível hierárquico consistente dentro dos lares. Os cães, principalmente, precisam compreender que existe um líder ali, isso faz com que se comportem melhor.


Por isso, o indicado é que, mesmo que você queira tratar seu animalzinho como um pequeno bebê, apenas deixe claro que ali existe um líder. Isso também passa a sensação de confiança para seu pet, que passará a compreender melhor o relacionamento que possuem.

Não existem regras quanto a fazer festa de aniversário ou comprar roupas da moda para seu companheiro, o importante é apenas perceber se essas atividades têm desencadeado algum tipo de estresse ou nervosismo no companheiro. Animais precisam de companheirismo, afeto, carinho e cuidado, e a forma como você oferece isso a ele só é considerada prejudicial quando o impede de experienciar a vida como animal.

Por isso, vale a pena lembrar que amar nossos animais é completamente normal. Cada família vai escolher a própria forma de conduzir esse amor, algumas farão de uma maneira; outras, de maneira completamente diferente!

O que você pensa sobre a humanização dos pets?


Comente e compartilhe com seus amigos!

Após primeiro transplante de córnea artificial do mundo, cego volta a enxergar!

Artigo Anterior

Samara Felippo diz que foi chamada de “velha e relaxada” por assumir cabelos brancos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.