Pessoas inspiradoras

Humilhada por vender churrasco na rua, psicóloga afirmou: “Não tenho um pingo de vergonha”

A diplomada se mostrou bastante orgulhosa da própria trajetória para conquistar o diploma. Confira!



Para muitos brasileiros, o diploma não chega com facilidade. Além de muito estudo e dedicação, eles também precisam se dedicar o dobro, porque não possuem condições financeiras para pagar pelos estudos com tranquilidade e têm de se envolver em atividades que lhes permitam um retorno financeiro suficiente para honrar seus compromissos.

Na maioria das vezes, essa forma de conseguir uma renda a mais é por meio  de serviços autônomos, que por mais que deem muito certo, expõem essas pessoas aos mais diversos tipos de preconceitos, vindos daqueles que julgam o valor de alguém com muita superficialidade.

Recentemente, contamos por aqui sobre uma jornalista humilhada por vender salgados nos fins de semana. Felizmente, ela não se deixou abalar pelas críticas e deu uma resposta poderosa a todos que a menosprezavam.


Hoje trouxemos outro exemplo tão poderoso quanto esse, que aconteceu com a amazonense Etianny Waughan, no ano passado. A manauara, que é psicóloga, contou numa publicação no seu Facebook sobre o preconceito que encara por vender churrasco em uma banca na rua.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Tianny Reis.

Etianny escreveu que duas senhoras passaram por ela enquanto limpava sua banca sob o sol e disseram que isso era o resultado de ela não ter estudado, sem saber que foi por meio daquele trabalho que ela bancou os seus estudos.

A psicóloga também contou que, apesar da ajuda da mãe, teve de “ralar” bastante para ter todas as suas coisas e que não sente “um pingo de vergonha” da sua realidade. Sua publicação sincera e simples repercutiu bastante nas redes sociais, fazendo com que ela ganhasse o respeito e a admiração de muitas pessoas por seus esforços.


Esse “sucesso” também impactou diretamente o seu negócio, porque, apenas dois dias após a publicação, a mulher foi às redes novamente, dessa vez para agradecer, pois além de a história tocar muitas pessoas, também fez com que os clientes lotassem o seu negócio, fosse para experimentar o seu churrasco, fosse para lhe manifestar apoio.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Tianny Reis e Henrique Marques.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Tianny Reis e Henrique Marques.

Casos como esse são muito legais de serem contados, não apenas porque nos mostram que o preconceito sempre encontra um jeito de ser superado, mas porque nos ensinam a respeitar todas as pessoas e nunca julgá-las com base na aparência, pois sempre há muito mais nelas do que podemos perceber. Que Etianny tenha sempre muito sucesso!


Na Argentina, “cuidados maternos” serão reconhecidos como trabalho e contarão para aposentadoria!

Artigo Anterior

Exercício lógico: qual das meninas foi a primeira a chegar à casa da avó?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.