ColunistasComportamentoEmoções

Humores… – (mudanças de humor… Por que isso acontece?)

Nosso humor pode variar conforme o dia, ninguém há que dizer que não. Além disso, há pessoas cujo humor varia muito em um único dia. E, por último, há ainda os bipolares ocultos e os declarados, mas não é sobre estes que escrevo.



Escrevo sobre gente comum (não normal), que acorda alegre, de bem com a vida, sai de casa para trabalhar, malhar, comprar pão ou o que quer que seja, e durante o dia pode ser que receba uma notícia ruim, presencie uma cena, ou ainda assista um filme que altere totalmente seu estado de humor. De gente que em um dia cansativo e nervoso, se deixa levar por uma música e quando nem percebe está bailando solitário na fila do caixa do supermercado enquanto espera sua vez.

Algumas vezes o comportamento ligado à mudança de humor dura minutos, e outras vezes, dias.

Por que isso acontece? Creio que é justamente para que sejamos comuns, até normais agora. E, a alteração do humor acaba alterando o comportamento do indivíduo no seu ambiente pessoal e profissional. E com isso as pessoas são taxadas de alegres ou tristes.


Devemos perceber, entretanto, que nem sempre o silêncio e a introspecção sinalizam uma pessoa triste ou deprimida. Por outro lado, nem sempre uma pessoa sorridente e risonha está feliz. Muitas vezes a máscara “do sorriso” está vestida justamente para esconder a tristeza de seus pensamentos, as frustrações de seu dia-a-dia, a inquietude da alma.

HUMORES - MUDANÇAS DE HUMOR - FOTO DE DENTRO

Foto: acervo pessoal.

E, por que ultimamente se confunde tanto introspecção com tristeza? Ou pior, tristeza com depressão?

A mídia, nossa cultura imediatista, os romances que lemos e os que assistimos na televisão, todos eles parecem conspirar contra um estado de espírito que não seja de felicidade plena, como se este nirvana pudesse fazer plantão de 24 horas, 365 dias por ano, na nossa vida. Não pode. Não há como. E, além disso, como se a felicidade plena fosse representada por sorrisos ou pelo riso solto.


Não é e nem pode ser.

Outro fator a ser levado em conta, é que, infelizmente nos dias atuais não se permite que as pessoas fiquem tristes ou sintam o luto das situações. Tudo é medicado, normalmente em tarja preta. E o sentimento que era para ser curado é dopado e escondido. Hiberna sob uma crosta medicamentosa que engana o corpo e a mente, até que um dia explode em resultados ainda mais dolorosos do que os que seriam normais se atravessado o período de luto. Estar feliz é uma escolha; ser feliz, a consequência.

Pode-se colocar duas pessoas assistindo o mesmo alvorecer e uma delas estar maravilhada por estar presenciando um grande fenômeno da natureza; a outra, por sua vez, pode estar reclamando de ter saído da cama cedo pra ver nada além do que o dia começar e passar o resto do dia reclamando que não dormiu o suficiente.

Estar feliz é um exercício diário de buscar seu próprio bem estar nas pequenas coisas. É o exercício de aceitar as coisas do modo que elas são. De buscar ver o lado positivo dos acontecimentos. É a somatória de atos que resultam em Ser feliz.


Estar feliz é estar equilibrado. Estar equilibrado é estar sereno. E, estar sereno é estar em harmonia consigo mesmo, e, portanto, nem no riso solto, nem na solidão da alma. Introspecção é reflexão. Reflexão é colocar a mente em um método lógico, ponderar sobre determinado ponto de forma concentrada. Ou ainda, é silenciar a mente e ouvir a intuição, deixar fluir a imaginação. E, neste momento, estar feliz.

Ser feliz é ainda saber que infortúnios fazem parte da vida. É vislumbrar assertivamente o futuro, mesmo quando a luta parece nada suportável. É o caminho e não o objetivo. A busca e não apenas o destino final.

Fechando ciclos…

Artigo Anterior

Não tenha medo, tenha fé!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.