Comportamento

Idosa que morou em praça com cãozinho recebe ajuda de desconhecido e agora tem um lar!

A senhora já havia pagado o aluguel da casa com antecedência, mas o proprietário a acusou de “gastar água demais” e a expulsou do imóvel, fazendo com que ficasse sem teto.



O problema da moradia assola os centros urbanos, principalmente porque envolve questões como direitos humanos, taxa de desemprego, segurança, alimentação e até o valor dos imóveis.

Parte de um grande contexto complexo, a falta de moradia é impulsionada pela pandemia, mas já vem aumentando há alguns anos, como consequência da ausência de políticas públicas efetivas. Irma Vásquez e seu cachorro Lucky foram encontrados vivendo em uma praça, em El Salvador, simplesmente por não ter para onde ir.

A situação chamou atenção da equipe do El Diario de Hoy, que resolveu publicar sua história em março deste ano, mostrando a realidade que impacta a vida de milhões de pessoas no mundo: a falta de um teto para viver. A senhora foi despejada, segundo ela, sem nenhuma justificativa plausível, do quarto que havia alugado e pagado com antecedência.


O proprietário pediu que se retirasse imediatamente do imóvel porque “usava muita água da torneira”. Irma precisou escolher um dos três cães que tinha, duas mudas de roupas e um pouco de dinheiro para conseguir chegar à capital, São Salvador.

Assim que chegou à grande cidade, acabou ficando sem dinheiro e decidiu morar na Praça Gerardo Barrios, até conseguir um lugar seguro para se hospedar. Vendo aquela situação, algumas pessoas ofereceram à senhora e seu cãozinho estada por alguns dias. Mas, assim que sua história foi publicada nos jornais locais, um salvadorenho que mora nos Estados Unidos entrou em contato para lhe fazer uma oferta generosa.

Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.

O rapaz, que preferiu se manter anônimo, ofereceu sua própria casa a Irma, que está vazia, para que ela morasse por tempo indeterminado. Ela poderia se mudar naquele mesmo dia e levar Lucky.


As reações da população foram positivas, e ela ganhou comida, ração, suprimentos e produtos de higiene pessoal. Um dos benfeitores, Ronald Lara, ajudou a arrecadar dinheiro para Irma, para fazer com que aquela situação acabasse o mais rapidamente possível.

Ela recebeu todas as doações e a cunhada do jovem que lhe ofereceu a casa apareceu na praça para levá-la ao seu novo lar, que tem água potável, luz, cama e até uma sala de jantar. A condição para que fique no local é que não abandone Lucky, o cãozinho.

Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.

Direitos autorais: reprodução YouTube/El Salvador.


A senhora agradeceu toda ajuda que recebeu e disse que já se sente muito melhor. Ela tem planos de, aos poucos, comprar as próprias coisas, fazendo suas conquistas, já que deixou tudo para trás, pois foi despejada imediatamente. Os outros dois animais que ficaram na casa antiga já têm candidatos para adotá-los, mas ela disse que ficaria muito feliz se alguém a levasse para pegá-los.

Na antiga cidade em que morava, Irma trabalhava com o comércio informal e espera que, muito em breve, possa recomeçar seu negócio na capital. Mesmo tendo uma casa para morar, a senhora ainda precisa de ajuda para adquirir alimentação e eletrodomésticos, mas muitos disseram que vão ajudá-la.

“Uma doença devastadora.” Filha compartilha dura jornada da mãe com Alzheimer

Artigo Anterior

“Minha vida está acabando.” Lima Duarte faz reflexão emocionante ao celebrar 91 anos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.