Pessoas inspiradoras

Idosa que sobrevive de bicos e cuida sozinha de marido doente é ajudada e ganha casa nova!

A idosa foi ajudada e hoje celebra a conquista de uma casa melhor. Confira!



O sonho de uma casa melhor é cultivado pela maioria de nós e se realiza pouco a pouco, conforme conseguimos juntar dinheiro para investir em melhor qualidade de vida.

No entanto, existem aqueles que simplesmente não têm condições de fazer algumas mudanças nos seus imóveis ou mesmo conquistar uma casa própria.

Eles vivem com rendas extremamente baixas e possuem muitas responsabilidades a cumprir, o que faz com que sobrevivam apenas com o básico, apenas sonhando em ter um lugar melhor para viver.


Essa é a realidade de muitas pessoas no nosso país, de todas as faixas etárias, como dona Agda e seu Raimundo, que enfrentavam a dificuldade de morar numa casa precária. Por mais de duas décadas, o casal muito humilde viveu num barraco improvisado na cidade de Osasco (SP), dividindo espaço com insetos e ratos, e que nunca lhe ofereceu a proteção ou o aconchego merecidos.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Construide.

Dona Agda é a responsável pelo sustento da casa, que é conquistado através de alguns “bicos”. Ela carrega essa missão sozinha, porque o marido Raimundo tem um tumor na próstata e alto grau de anemia, o que o torna incapaz de exercer muitas atividades que poderiam ajudar no sustento da família.

Os dois idosos sonhavam em ter uma casa segura, aconchegante e com saneamento básico. Por muito tempo, a mudança de vida foi apenas um desejo do casal. No entanto, no começo deste ano, a sua história mudou.


Eles foram descobertos pela Construide, ONG que constrói casas sociais em todo o país por meio de doações. Em fevereiro, a história do casal foi contada e, em maio, dona Agda e seu Raimundo tiveram a alegria de conhecer seu novo lar.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Construide.

Muito diferente do barraco em que viviam, a nova casinha tem móveis, uma decoração bonita e conforto. Desde então, o casal vive com dignidade, encarando os desafios do dia a dia com mais otimismo. Esse é o tipo de ação social que impacta a vida de muitas pessoas. Esperamos que mais pessoas como dona Agda e seu Raimundo sejam fruto de ações de generosidade como essa e consigam transformar sua realidade de vida!

Direitos autorais: reprodução Facebook/Construide.


Baiano que viveu nas ruas por ser rejeitado por família, passou em concurso e atua no conselho tutelar

Artigo Anterior

Trabalhando como gari para pagar curso de Biomedicina, jovem rebateu preconceito: “Tenho orgulho”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.