Incentive uma mulher a ser independente e veja a mágica acontecer

4min. de leitura

Um texto direcionado às mulheres, mas também é importante que os homens o leiam.



Perdi as contas de quantas vezes minha mãe me falou: “Estude, trabalhe e seja independente.” São anos escutando isso, que já faz parte de mim. Já ouvi da minha mãe que ela se sente culpada pela minha “dureza profissional”. Mas, na verdade, o que ela fez foi essencial para eu ser quem sou hoje. O mundo seria um lugar melhor se mães, tias, avós, madrinhas e amigas sempre reproduzissem discursos incentivadores como esse.

Por essa questão ser tão presente na minha vida, imaginem o tamanho do susto que levei ao ouvir em uma palestra algo indo na direção completamente oposta. Visualizem o cenário: uma palestra, com mulheres de classe mais baixa (eu estava trabalhando em um evento para beneficiárias do Bolsa Família), onde a palestrante falava coisas do tipo: “Arrume a casa, se arrume e faça um café para esperar seu marido, ele vai chegar e pensar: ‘Nossa, será que entrei na casa certa?’”

E em seguida soltou um “mulheres precisam investir em si mesmas, estudar, mas se você tiver filho pequeno, espere-o crescer para estudar depois; família vem primeiro. Então você precisa optar.”


Se para você foi difícil ler essas frases, pense em mim que as ouvi e vivi em tempo real.

Eu não tenho nada contra o pensamento de que família vem primeiro, acredito na importância disso, mas a questão não é essa. Num ambiente com mulheres “dependentes do poder público”, reproduzir esse discurso é muito perigoso. Elas vão levar isso para as filhas, que em seguida passarão para suas filhas, e o ciclo nunca vai se quebrar, pois elas acreditam que isso é o certo, até porque foram a uma palestra para ouvir isso.

Acredito que, para as classes sociais mais baixas, esse problema seja ainda maior, mas todas as mulheres, em qualquer faixa de renda, precisam ser incentivadas a ser independentes.

Quando tiver oportunidade, incentive uma mulher. Incentive-a a se arrumar para si mesma, para se olhar no espelho e gostar do que vê, e não para agradar a um parceiro. Isso não quer dizer que só vai estar bonita se estiver maquiada e de roupa nova, o sentir-se bem vai além da casca. Se não quiser usar batom e rímel, está tudo bem.


E se não quiser ter parceiro(a)? Está tudo bem também. A constituição de família vai além de mãe, pai e filhos. Famílias podem ser: 1) mãe, filhos e avó; 2) mãe e pai, sem filhos; 3) duas mães e filhos. Todas as alternativas estão certas.

E já que estamos falando em família, você pode sim ser uma boa mãe e estudar, trabalhar, ser dona de casa. O ponto principal aqui não é “ou”, e sim “e”. Não precisa escolher uma coisa ou outra. Mulher, você é forte e consegue fazer duas (ou mais) coisas ao mesmo tempo.

Mulher não precisa usar tamanho P para ser bonita. Mulher não precisa “casar bem” para ser feliz. Mulher não precisa ser o estereótipo de delicadeza e feminilidade.

Mulher precisa ser independente, feliz e empoderada.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Yuliya Shabliy/Pexels.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.