Índia proíbe encarceramento de pássaros em uma decisão histórica

Nós, seres humanos, somos considerados capazes de tomar decisões conscientes para a própria espécie. No entanto, muitas vezes fazemos escolhas que prejudicam não apenas nós mesmos, mas também todo o planeta.

Nosso egoísmo e ganância colocam em risco todos os dias as vidas de milhares de animais, que são submetidos à condições de vida desumanas apenas para nos satisfazer. Muitas vezes, sustentamos essa situação sem saber, comprando animais, frutos de aprisionamentos, e essa é uma realidade que precisa ser mudada. Somos todos livres, e precisamos respeitar a natureza e suas criações por tudo aquilo que nos proporciona todos os dias.

Muitas nações ainda precisam chegar a essa consciência, mas a Índia recentemente deu o primeiro passo, e dá o exemplo a todos nós. O país proibiu oficialmente o encarceramento de pássaros.

O Juiz indiano Manmohan Singh disse: “Tenho claro em minha mente que todos os pássaros têm os direitos fundamentais de voar nos céus e que os seres humanos não têm o direito de mantê-los presos em gaiolas para satisfazer os seus propósitos egoístas ou o que quer que seja”.

A decisão se aplicou em um caso específico, em que diversos pássaros foram resgatados de um homem chamado Md Mohazzim, que afirmava ser tutor dos animais, mas foi acusado pela ONG People for Animals de mantê-los em pequenas gaiolas e vendê-los para lucrar. O tribunal de primeira instância devolveu os pássaros ao homem, mas a ONG apelou em uma instância superior.

O outro tribunal emitiu a decisão em favor da ONG e de todos os pássaros que vivem presos em gaiolas, dizendo:

“Esta corte tem a opinião de que realizar o comércio de pássaros é uma violação aos seus direitos. Eles merecem compaixão. Ninguém está se importando se eles foram vítimas de crueldade ou não, apesar de uma lei que diz que as aves têm o direito fundamental de voar e não podem ser engaiolados, e terão de ser soltos no céu. Pássaros têm direitos fundamentais que incluem o direito de viver com dignidade e não podem ser submetidos à crueldade por ninguém, incluindo a reivindicação feita pelo respondente (Mohazzim)”.

A Índia já tem um histórico de se posicionar a favor dos animais, reconhecendo-os como seres que possuem direitos e não podem ser tratados como mercadorias.

No ano de 2003, o tribunal superior baniu os shows com golfinhos cativos, citando como justificativa seu alto nível de inteligência, o que possibilita considerá-los “pessoas não humanas”.

Outras coisas são proibidas no país, como a produção de cosméticos testados em animais, as lutas entre cães, e o sacrifício de animais em rituais religiosos. O objetivo é proteger e preservar os animais e seus direitos.

Um grande exemplo da Índia para todo o mundo!

Se gostou do artigo, deixe um comentário abaixo e compartilhe a notícia!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Steve Byland / 123RF Imagens



Deixe seu comentário