Insistir em um relacionamento que não tem perspectivas só atrapalha a chegada de outro melhor

Falar de relacionamentos amorosos soa inspirador, não é mesmo? Os contos de fadas e suas princesas e príncipes encantados povoam nosso imaginário. Tudo isso é lindo, mas que tal integrarmos o mundo dos sonhos à nossa realidade?

Uma relação a dois é um ato criativo. O encontro de duas diferentes almas que formam um terceiro elemento: o relacionamento. Este expressa necessidades que vão além das individualidades dos parceiros. Inclusive, às vezes entra em conflito com os desejos pessoais de cada um.

Por serem vivos, os relacionamentos estão sempre se transformando! Infelizmente é comum as pessoas esquecerem o movimento das relações e deixarem-se cair em estagnação, o que acarreta em sofrimento.

Um relacionamento precisa ser nutrido diariamente, ser cuidado com atenção e dedicação para que se desenvolva constantemente.

Desde muito cedo, somos bombardeados por crenças como “felizes para sempre” e “até que a morte os separe”, que, se não forem bem contextualizadas e apropriadas, trazem muita dor e nos aprisionam. Crenças desse tipo também podem nos despertar possessividade: perceba que é comum nos referimos aos nossos parceiros como “meu marido” ou “minha mulher”. Relações verdadeiras seguem o fluxo do coração, não da mente que idealiza padrões sentimentais e comportamentais. O coração tudo sabe!

A consciência de que nada acontece por acaso é fundamental, já que as relações servem tanto à nossa evolução como à de nosso parceiro. Compartilhar experiências é um ato de liberdade e respeito às individualidades. Lembre-se: por mais que ajam afinidades, ainda assim estamos falando de dois seres distintos!

Relacionar-se é um caminho de aprendizados, desafios e principalmente amadurecimento.

E a paixão desempenha um papel essencial nesse trajeto. Ela é um potente combustível para todas as áreas de nossa vida, trazendo-nos brilho aos olhos e vitalidade! É preciso criatividade para manter sua chama acesa, principalmente considerando que faz parte do processo a existência de momentos com maior e menor vigor. O fato é que não há relação de amor que se sustente quando a chama da paixão se apaga totalmente. Insistir em um relacionamento que não tem perspectivas só atrapalha a chegada de outro melhor.

Podemos e devemos confiar mais em nossa capacidade de amar. E nesse sentido há vários recursos para nos auxiliar a decifrar melhor a voz de nosso coração. Um exemplo é fazer terapia, para que a partir do um processo de autoconhecimento, possamos potencializar nossa sensibilidade e segurança. Outro exemplo é o tarô, que como um bom oráculo, apontando-nos caminhos em situações específicas – ressaltando que sua contribuição é de mapear as rotas, todavia somos nós quem escolhemos nossas próprias estradas, sempre com a liberdade de redirecionar os percursos.

Durante a jornada, caso se depare com um grande e desafiante conflito, lembre-se de que toda batalha serve a algum propósito maior. O verdadeiro guerreiro entende que não faz sentido tratar seu parceiro como inimigo. Mesmo a parceria desgastada, ainda possui um histórico.

Caso seja possível renovar o amor, ótimo! Caso não, permitir que cada um siga seu novo caminho é a mais bela das provas de amor.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: motortionfilms / 123RF Imagens



Deixe seu comentário