INSPIRANDO O FUTURO OU PREVENDO-O – #NARRATIVASQUEINSPIRAM

Narrativas futuristas são histórias que muitas vezes inspiram o desenvolvimento de tecnologias ou mesmo a criação de algo até então inexistente.

O autor Júlio Verne em várias de suas obras inspirou cientistas com suas ficcionais engenhocas, como foi o caso do submarino Nautilus em ‘20000 Léguas Submarinas’, ou com descrições que se assemelhavam a máquinas que hoje em dia conhecemos como tanques e aviões. Porém ele também foi capaz de descrever alguns acontecimentos futuros? A ideia surgi com descrições como do livro ‘Da Terra à Lua’, onde ele descreveu a viagem a Lua e até um módulo semelhante ao que foi usado para chegar lá. Também há descrições dos atuais noticiários diários que vemos na TV em sua obra ‘No Ano 2889’. Já em ‘Os Quinhentos milhões da Begum’ ele fala do lançamento de satélite artificial e em ‘20000 Léguas Submarinas’, a mais conhecida e criativa obra também há menção de um tipo de “arma elétrica”, semelhante aos tasers que temos nos dias de hoje.

No entanto a mais sinistras das ditas previsões de Júlio Verne está em ‘Os Quinhentos Milhões da Begum’ onde ele descreve um panorama mundial para o século XX, que mostra a ascensão dos nazistas, através do personagem Herr Schultze, que lembra muito Adolf Hitler, o qual só nasceu 10 anos depois a publicação do livro.

inspirando-o-futuro-ou-prevendo-capa-e-dentro

Assim como o mais conhecido autor de ficção científica da literatura mundial, há também narrativas para o cinema e TV fizeram história inspirando o futuro ou prevendo-o.

Quantas vezes um personagem de uma ficção científica ou de fantasia lançou um desafio aos cientistas, ao ser portador de alguma engenhoca ficcional incrível que todos vão desejar ter.

Seja as impossíveis vassouras voadoras das histórias sobre ‘Harry Potter’ da J.K.Rowling, aos mais possíveis de se tornarem reais como o skate e o carro voador da franquia ‘De Volta para o Futuro’.

Também reza a lenda que o criador do primeiro celular era um grande fã da série de TV ‘Star Trek’, que se passa séculos no futuro e personagens visitam galáxias onde a humanidade jamais esteve; teria se inspirou nos comunicadores da tripulação da Entreprise para tornar realidade a tecnologia que deu origem aos aparelhos de telefonia móvel.

Já roteiros de filmes de viagem no tempo, como ‘De Volta para o futuro’, além dos desafios de criar algo como o carro voador, parece apresentar tecnologias como um tipo de previsões do futuro, como foi o caso do videofone. Uma tecnologia que também foi prevista no futuro não tão distante de ‘Os Simpsons’, em um episódio onde é mostrado como seria a vida da família amarela no século XXI (lembrando que a série animada estreou na TV no final da década de 1980).

No entanto, ‘Os Simpsons’ é uma das produções que diferente das ficções científicas que podem não inspirar os cientistas, mas parece realmente conseguir prever acontecimentos futuros. Entre os mais sinistros está o episódio que a família visita New York e é mostrada uma revista com um valor de $9 dólares, que tinha ao fundo as Torres Gêmeas que ao formar um 11 ao lado do 9, parecia 9/11, que nos Estados Unidos é como eles datam, primeiro o mês e depois o dia, e esse seria a data exata do atentado de 11 de setembro que destruiu as torres.

Também há várias outras ditas previsões em episódios de ‘Os Simpsons’ que fazem fãs ao redor do mundo questionar os roteiros da animação que está no ar a 27 anos, sendo a mais recente a inacreditável vitória do candidato à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, que o roteirista do episódio em questão jura ter sido apenas uma piada diante do mais absurdo cenário político. Tal previsão, agora realidade, já causa preocupação, pois no mesmo episódio o Presidente Trump também é o responsável por falir os Estados Unidos.

O fato é que se inspirou cientistas ou previu o futuro, é algo que fãs de uma boa narrativa de ficção sempre irão debater. Inspiração ou previsão para o futuro do impossível se torna possível, eis a questão!

Anny Lucard



Deixe seu comentário