ColunistasComportamento

Inteligência emocional | a importância de manter as emoções em equilíbrio:

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL CAPA E DENTRO

Adquirir inteligência emocional através da educação de nossas emoções pode ser um grande aliado para qualquer objetivo que almejamos alcançar, sejam eles de cunho pessoal ou profissional. Ter o controle de nossas emoções faz com que nos relacionemos com maior facilidade com nosso meio social e principalmente no ambiente de trabalho, que somos constantemente testados.



O equilíbrio emocional nos dá qualidade de vida e bem-estar, pois com as nossas emoções controladas e em equilíbrio, faz com que não nos deixemos corromper por emoções negativas que muitas vezes nos fazem agir irracionalmente e instintivamente.

Quem nunca se afastou de alguma pessoa por dificuldade de convivência? Justamente por perceber que a pessoa não tem equilíbrio emocional, correndo-se o risco de a qualquer momento se tornar uma verdadeira bomba relógio? Aposto que algumas vezes, certo? Mas não se culpe, pois é diante dessa má administração das emoções que se dão as dificuldades de relacionamento.

inteligencia-emocional-capa-e-dentro


A educação emocional que nos é ensinada pela família, influencia diretamente em nosso desempenho e comportamento. O desequilíbrio das emoções afeta a vida de forma geral, nas relações amorosas, de família, de amizades, etc. Muitas vezes até nos afasta das pessoas que amamos e pode, principalmente, gerar problemas na carreira, onde a produtividade é mais fortemente avaliada e a inteligência emocional é colocada à prova a todo momento.

Segundo Dicionário da Língua Portuguesa, inteligência emocional é a capacidade de reconhecer e entender as próprias emoções e as dos outros, agindo de forma adequada em diferentes situações.

Para que perceba a importância da inteligência emocional, entenda que a nossa vida e existência é permeada por emoções. Você já viu alguém que possa viver isento de sentir emoções e sentimentos? Vivemos cercados de situações e de outras pessoas com quem interagimos a todo momento, tudo o que nos cerca provoca um desejo, seja ele de afastamento ou de aproximação. Pouquíssimas atividades fazemos sozinhos, convivemos o tempo todo com pessoas e a realização da maioria das atividades, normalmente, depende de terceiros.

Temos sucesso e qualidade de vida quando aprendemos a lidar com as situações adversas e vivemos as emoções de forma mais equilibrada. E não são apenas as nossas emoções, temos que aprender a lidar com as emoções das outras pessoas também. Nossas emoções geram nossos comportamentos e é por meio do comportamento que nos expressamos no mundo. Por exemplo: podemos deduzir que uma pessoa está zangada apenas observando o seu comportamento. E quando pensamos: “Ele está furioso, é melhor não falar com ele agora! ”. Estamos deduzindo o tipo de relacionamento que essa pessoa pode ter ou não, sob influência dessa emoção.


Por isso a importância de educar e entender nossas emoções. Se você quer entender a emoção, observe o comportamento. Nosso comportamento é influenciado pelo que sentimos e pensamos, administrar essas emoções é uma competência fundamental para desenvolver comportamentos que nos levem a realização e felicidade.

No livro Inteligência emocional, de Daniel Goleman: “qualquer um pode zangar-se — isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e de maneira certa — não é fácil” (Aristóteles in Golemann, 1995, 12).

Provavelmente você já se deparou com pessoas com muito talento, mas por não acreditarem que é possível, vivem em um ciclo constante de auto sabotagem. Esses pensamentos sabotadores dominam de uma forma tão intensa, que as pessoas inconscientemente, sem perceberem, criam situações para que realmente suas ações confirmem seus pensamentos, coisas do tipo: “Não sou capaz”, “não pode dar certo”, “não tenho competência suficiente”, “vou fracassar” e por aí vai.

Você até pode estar se perguntando: “será mesmo que uma pessoa em sã consciência pode pensar e fazer isso? ”. A resposta é: sim, pode! Porque suas emoções e modelo mental estão condicionados para isto.


Nossos pensamentos e emoções podem impactar em nossa vida de forma drástica, porque além do pensamento conduzir a sentimentos e ações, nossas ações geram nossos resultados!

Quando acreditamos em algo com muita força, esses pensamentos viram crenças que passam a dirigir e controlar nossa vida de tal forma que as pessoas não conseguem mais discernir ou até mesmo questionar se essas crenças possam ser falsas. Sabe por quê? Porque elas acreditam com toda a força de suas almas que realmente não podem ser felizes ou conseguir o que tanto almejam.

Existem vários motivos para essas crenças “brotarem” em nossa mente e muitas delas se constituem da informação ou programação que recebemos do passado, sobretudo, quando ainda éramos criança. Geralmente de pais, irmãos, amigos, figuras de autoridade, professores, líderes religiosos, mídia e cultura, etc.

Aprender a identificar as próprias emoções e perceber a influência delas em nossos comportamentos é uma forma de autoconhecimento que ajudará muito. Quando percebemos o que sentimos, vamos aprendendo também a perceber o que os outros sentem, evitando problemas de relacionamentos.


Falar sobre nossos sentimentos e nos expressarmos adequadamente sobre eles é um aprendizado diário. Muitos problemas de natureza psicológica originam-se em algum tipo de distorção ou negação das emoções e sentimentos. Por isso é importante fazer sempre uma autoanálise de nossas emoções, pensamentos crenças, etc, já que muitas delas vieram provavelmente de fora, de alguma programação de quando éramos mais novos.

inteligencia-emocional-foto-02

Observe suas emoções e coloque-as sob a lente de um microscópio e estude-as. A única maneira de mudar o seu mundo “exterior” é modificar o seu mundo “interior”. Emoções mal administradas podem sabotar a melhor das intenções.

Seja você mesmo a mudança que quer ver no mundo.  -Gandhi


Isabele Santello

Como os pensamentos sabotam a sua prosperidade:

Artigo Anterior

Lista de amores…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.