Reflexão

Inteligência emocional: permitir que o passado vá embora!

CAPA Inteligencia emocional permitir que o passado va embora
Comente!

É necessário saber controlar suas emoções para lidar com todo o tipo de situação.

Talvez você já tenha lido em algum lugar ou até mesmo escutado de outra pessoa o termo ‘inteligência emocional’. É algo que vem sendo repercutido nos últimos anos e diz respeito diretamente ao nosso dia a dia, sobre como agimos diante das coisas que vão acontecendo constantemente e também da maneira como nos relacionamentos.

A psicologia explica que a inteligência emocional é a capacidade de identificar e lidar com as emoções e sentimentos pessoais tanto os próprios como a de outros indivíduos.

Em outras palavras, é a habilidade que a pessoa tem em gerir e administrar melhor aquilo que está sentindo em determinado momento e controlar isso para que não prejudique as suas obrigações diárias.

Historicamente, Charles Darwin foi o primeiro estudioso a citar o termo, ainda no século XIX, quando relacionou o conceito da expressão emocional. Na ocasião, era algo que tinha muito mais a ver com o instinto de sobrevivência e com a teoria evolucionista de adaptabilidade do que com a forma pela qual conhecemos hoje.

Outro estudioso que também já tratou do tema anteriormente foi o renomado psicólogo Howard Gardner, quando teve a iniciativa de procurar entender os próprios sentimentos, bem como as suas motivações e medos.

Conforme os estudos, a inteligência emocional está completamente ligada à competência de se gerenciar sentimentos e que, desta forma, possam impactar positivamente nas tomadas de decisões do nosso dia a dia, como o fato de permitir que o passado vá embora e dê lugar as novas experiencias do tempo presente.

Aqueles que conseguem executar essa missão (de controlar a inteligência emocional) são capazes de compreenderem as suas emoções, como a felicidade, raiva, angústia, tédio, ira, compaixão, entre tantos outros, e com isso deixam de sofrer com aquele descontrole e o desgaste psicológico, adquirindo uma vida muito mais próxima da tranquilidade e bem menos estressante.

As pessoas que possuem a inteligência emocional ganham destaque principalmente no mercado profissional, como líderes ou chefes, já que tais cargos exigem o controle das emoções para evitar que o trabalho não saia prejudicado por conta de um surto psicológico, por exemplo, ou que alguém desmotivado interfira no volume da produção, prejudicando todo mundo.

Na vida amorosa, ter inteligência emocional auxilia na aceitação do fim de um relacionamento, na compreensão e controle dos ciúmes e na autoestima para novas investidas.

Algumas dicas são citadas por especialistas para que possamos aprender a desenvolver a nossa inteligência emocional. A primeira delas é criar consciência sobre o seu comportamento e as suas reações. É um exercício muito fácil e rápido, onde você vai elencar os momentos da sua rotina que mais utilizam os seus sentimentos.

Ainda dentro desta checagem, você pode classificar quais são os bons momentos do seu dia a dia, aqueles nos quais você está mais feliz, agradável e prazeroso, e também os momentos de desânimo, que são aqueles onde você acaba ficando mais triste, deprimido ou desmotivado. Isso irá proporcionar o autoconhecimento de suas emoções.

Uma vez reconhecido o seu comportamento e as tuas reações emocionais, você deve então tentar os controlar, fazendo uma regulação, segurando e soltando sua energia mental para que aquela sensação ruim não saia no momento em que a sensação de prazer esteja liberada, lhe prejudicando emocionalmente.

Dentro de desse processo é muito importante se expressar e se relacionar com as pessoas ao se redor. Na troca de contatos, você vai viver todos os tipos de emoções e poderá controlar na prática a sua reação para cada um, fugindo assim daquele processo automático que até então vinha sendo executado por você erroneamente.

Com o tempo, a prática desses exercícios vai proporcionando o resultado almejado e você perceberá isso com o aprimoramento da execução de suas tarefas, que passarão a ser produzidas de forma mais contagiante do que antes, sem que aquela sensação de desânimo e baixo astral lhe atormente novamente.

Comente!

Mulher fritou o peixe do marido, que vale mais de R$1 milhão, como vingança por sua preguiça

Artigo Anterior

Acúmulo emocional: Aquela sensação de que, uma hora, vamos explodir!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.