publicidade

A interpretação dos sinais e o ajuste da intuição…

Você desejou, você pediu, foi atrás, tomou decisões, planejou, e… Será que estou fazendo a coisa certa? Será que este é o caminho? As respostas não aparecem, bate aquele desespero, e você olha para os céus, pedindo-pelo-amor-de-deus, um sinal qualquer. As estrelas não se organizam (e nem vão), no céu, para escrever: “Vai dar tudo certo, seja-lá-como-você-se-chama”. E você se sente sozinho. Perdido. Mas os sinais existem. Ou, pelo menos, um sinal existe. Basta saber reconhecer.



Às vezes, dá-se a impressão de que fé é algo mágico que faz milagres caírem do céu. A má interpretação da frase “se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a esta amoreira: arranca-te e transplanta-te no mar; e ela vos obedecerá.” nos coloca numa posição tão incômoda, tão constrangedora, que nos obriga a olhar as igrejas, cheias de doentes, surdos, cadeirantes, etc., e chegar à conclusão de que nós não temos nem isso (grão de mostarda) de fé, por isso os doentes continuam doentes.

A fé não é acreditar, a fé não é querer acreditar. Não. Fé é confiar.

A diferença é sutil, mas está lá. Quando você acredita que vai dar tempo de pegar o ônibus às x horas, você vai torcendo, um tanto inseguro, até o terminal, vai procurando, se questionando, esperançoso.

a-interpretacao-dos-sinais


Quando você confia no itinerário e sabe que vai dar tempo, você vai com tranquilidade. Outro exemplo: quando você diz “eu tenho fé que Deus vai curar ele”, você tanto pode estar dizendo que você confia em Deus, que Deus vai curar e pronto, não tem com o que se preocupar; Quanto pode estar dizendo que acredita que Deus pode curar; E aí, deixa de ser confiança, passa a ser uma torcida, você torce pra que Deus cure, mas fica com o coração cheio de preocupação, afinal, vai saber se Deus vai MESMO curar. Ter fé é confiar. Confiar é saber.

É por isso que a fé é inabalável, porque não importa quão ruim as coisas aparentam ser, se você tem fé, se você confia, você não se preocupa, pois sabe que vai dar certo.


É possível ter fé em outras coisas e pessoas além de Deus. Fé no mecânico – você leva o carro à oficina, e não se preocupa, não se enche de perguntas do tipo será que ele vai conseguir arrumar? –, fé numa máquina – esta comida está congelada, mas eu confio/sei que este aparelho vai descongelar. –, fé em um remédio – será que este remédio que ele receitou vai mesmo melhorar minha dor de cabeça? –, etc.

É da natureza humana, ter dúvidas, você não está errado por não saber se deve escolher “A” ou “B”, você pode (e deve) olhar para os céus e pedir ajuda. O problema é buscar as respostas fora – e, repito, elas existem –, e ignorar completamente a resposta interna: intuição.

A intuição nunca mente. Pelo menos, a minha nunca falhou. Quando você aprende a isolá-la dos medos e queros, ela é totalmente confiável – e lembre-se de que confiança tem a ver com fé. Tenha fé na sua intuição, confie nela. Se você não puder confiar em si mesmo, por todos os deuses, quem vai?

Como faço para ouvir a intuição? Ouça! Simplesmente, ouça. Como é que você ouve às pessoas? Pratique o ouvir. Acredite, pode ser mais difícil do que você imagina. Mas. Se você não consegue ouvir uma pessoa, que está ali, diante de ti, tangível, clara, objetiva… Você não vai conseguir captar a sutileza da intuição. Aprenda (e repita) a silenciar a mente; Busque algo diferente dentro de si. Se você nunca intuiu algo, você vai perceber que ela fala diferente. Se você já intuiu algo, você vai se lembrar da sensação de certeza, daquela coisa de não sei explicar, mas eu simplesmente sabia.

“Oração é quando você fala com Deus; meditação é quando você escuta Deus.”

— Diana Robinson

Pratique, e você VAI ENCONTRAR a intuição! E, quando encontrar, por favor, pooor faaavoooor, confie nela.

Como faço pra confiar nela? E se eu quebrar a cara? E se não der certo? E se eu estiver errada? A intuição nunca erra. Se você “errou”, você provavelmente confundiu a intuição com o seu querer/medo. E, sobre confiar: Se você conversar com o Eike Batista, ou com Warren Buffett (o maior investidor que já existiu), ou com qualquer outro que entenda muito sobre estas coisas, eles vão te dizer que: não há garantias. A vida é um risco. O único modo de acertar é arriscando. Se não quiser errar, não arrisque, não faça. Mas se não fizer…
Vez ou outra você vai errar, você vai confundir. Não vou mentir: isto vai acontecer! Mas você vai chegar lá, você vai sintonizar a frequência certa, você vai aprender e vai vencer. Eu só espero que você tome notas destes momentos todos, minimize os erros futuros. Eu espero que você aprenda. É só depois de aprender, que você vai passar para o próximo ciclo, sair da mesmice.

Esqueça aquela paranoia de e se isso? E se aquilo? E se…  “Não andeis ansiosos por coisa alguma”. Confie! Se você precisa se questionar, então que seja questionamento positivo: e se eu conseguir? E se eu ganhar? E se eu vir o sucesso? A diferença é que a primeira situação te faz sentir medo, e a segunda, entusiasmo. O que você quer sentir?

a-gente

Não desperdice tempo e energia buscando sinais, se você intuiu, você está no caminho certo. Quando você confiar, não precisará mais dos sinais, para dizer se está no caminho certo. Você saberá que está no caminho certo.

A intuição não requer sinais, a intuição é o sinal.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.