Pessoas inspiradoras

Irmãs de 17 e 18 anos são aprovadas juntas em 1º e 2º lugares no curso de medicina na UFRN

capa irmas de 17 e 18 anos sao aprovadas juntas em 1o e 2o lugares no curso de medicina na UFRN

A conquista das irmãs trouxe muita alegria para a família. Saiba mais!

Se ser aprovado com louvor para um curso universitário já é algo indescritível, imagine só alcançar conquistar isso ao lado de seu irmão. Foi exatamente isso que aconteceu com Maria Clara de Oliveira Belarmino, de 17 anos, e Maria Eduarda, de 18.

As irmãs da cidade de Apodi, no oeste do Rio Grande do Norte, comemoraram a conquista no último dia 22. Segundo contado em matéria do G1, ao conferir o resultado no Sistema de Seleção Unificado (Sisu), elas perceberam que haviam sido aprovadas em 1º e 2º lugares para o curso de medicina na Universidade Federal do RN (UFRN). Elas disputaram as vagas destinadas a alunos da rede pública. Apenas 54 décimos separaram as jovens, que tiveram desempenhos elevados. Enquanto Clara totalizou 795.92 pontos, Eduarda fez 795.38.

Sobre o que as levou a esses resultados, com toda a certeza a cumplicidade esteve em primeiro lugar. As irmãs relataram que decidiram estudar juntas para o curso, oferecendo apoio mútuo e conseguindo aprender de forma contributiva.

Elas assistiam a aulas juntas e também corrigiam os erros uma da outra. Para Maria Clara e Maria Eduarda, a aprovação nunca foi sobre competir, mas sim sobre começar a construir um bom futuro juntas.

As irmãs, que estudaram no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), nos últimos dois anos, precisaram se preparar de maneira totalmente virtual por conta da pandemia de covid-19. Elas revelaram que preferiam o ensino presencial, mas que a rotina de estudo em casa lhes permitiu administrar melhor seu tempo.

Nessa caminhada, também puderam contar com o apoio do pai Girleno Belarmino, que é professor de português. Cada uma das duas acertou 43 das 45 perguntas sobre essa área do conhecimento.

Prestes a iniciar uma etapa muito importante da vida, Maria Clara não deixou de agradecer o apoio da família, segundo ela, a dedicação dos familiares as motivou a dar orgulho para eles. Ela também disse que o fato de não se sentir pressionada dentro de casa a deixou bastante tranquila, pois sabia que se não conseguisse a aprovação este ano, poderia conquistar outras oportunidades.

As irmãs, que viveram um dia de comemoração com a família quando souberam que realizariam o sonho de cursar medicina, mencionaram também as dificuldades pelo caminho, como abrir mão de momentos ao lado dos amigos, entre outras coisas.

Maria Clara e Maria Eduarda são um exemplo a ser seguido por todos que buscam uma oportunidade de estudo em universidades públicas. Embora muitas vezes pareça difícil conseguir uma boa colocação, é preciso lembrar que a organização e a dedicação podem fazer a diferença no caminho que desejam seguir.

Elas não foram as únicas a conquistar um desempenho excelente nos estudos. Recentemente, o adolescente de apenas 13 anos, Caio Temponi, foi o primeiro colocado na disputa de vagas do curso de direito, uma das graduações mais concorridas do Brasil, na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), em sua primeira tentativa.

O adolescente ainda havia conquistado uma vaga no curso de administração na Universidade Estadual do Ceará (Uece), além de conquistar a medalha de ouro na Olimpíada de Matemática Mayo e ser aprovado pela Escola Preparatória de Cadetes do Ar, em primeiro lugar.

Apesar de aprovado na UFRRJ, Caio não planeja ingressar na universidade agora, deseja continuar na escola e concluir o ensino médio, curtindo esse período ao lado dos amigos. Os pais concordam, até porque ele tem um futuro brilhante pela frente de qualquer maneira.

0 %