Animais

Israel é o primeiro país a proibir o comércio de peles de animais!

Uma ótima notícia! Confira os detalhes sobre a decisão do país do Oriente Médio!



Os animais, apesar de dividir o planeta conosco, são vistos como inferiores por muitas pessoas, que não são capazes de respeitar a sua singularidade e acreditam que têm o direito de prejudicar a vida desses seres para o próprio benefício.

São muitos os exemplos de maldade, egoísmo e falta de respeito e amor que vemos todos os dias em relação aos animais. Dentre todos eles, existe um bastante específico, que retrata a arrogância dos humanos: o uso de pele dos animais.

Caçados ilegalmente, a pele de diversos animais é vendida para os mais diversos fins, seja em decoração, confecção de roupas, calçados, acessórios. Há algum tempo, defensores de animais têm batalhado para que esse tipo de violência animal se torne cada dia menos comum e, finalmente, uma boa notícia foi conquistada num país em especial.


Segundo informações compartilhadas pelo portal G1, na última quarta-feira, 9 de junho, Israel proibiu o comércio de peles de animais destinados à indústria da moda, por decreto ministerial. Em 1976, o país já havia proibido a criação de animais para uso de pele.

A decisão tomada pelo país do Oriente Médio o tornou o primeiro a aprovar uma legislação tão rígida, segundo informações do seu Ministério do Meio Ambiente.

O órgão esclareceu, em comunicado, que o comércio de peles de animais, seja por meio de importação ou exportação, será proibido, “exceto para as necessidades de pesquisa, educação e certas tradições religiosas”, e entrará em vigor em seis meses.

Por conta das exceções, o uso de pele para fabricação do “schtreimel”, chapéu tradicional usado por judeus ultraortodoxos, continua liberado.


A ministra do Meio Ambiente de Israel, Gila Gamliel, afirmou que essa indústria causa “um sofrimento inimaginável aos animais” e acrescentou que o decreto causará uma transformação no mercado de moda do país, melhorando o cumprimento dos padrões ambientais.

Jane Halevy-Moreno, diretora da Coalizão Internacional Anti-Pele (IAFC, na sigla em inglês), também se manifestou sobre a decisão de Israel, dizendo que o decreto é um “gesto histórico”.

Em muitos países, já existem proibições parciais para esse tipo de comércio, em especial para as espécies ameaçadas de extinção. Em São Paulo, a proibição total já está em vigor.

Sem dúvidas, essa é uma grande notícia e um avanço considerável para que os animais sejam respeitados em todo o mundo. Torcemos para que mais países adotem o mesmo posicionamento!


 

Direitos autorais da imagem de capa: Depositphotos.

Pernambucano de 17 anos é escolhido entre 10 mil candidatos e ganha bolsa para Harvard!

Artigo Anterior

Leandra Leal fala sobre compromissos da maternidade: “Adoção não é trabalho social”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.