6min. de leitura

Japonês que vive uma vida minimalista prova que menos coisas = mais felicidade

Uma vida minimalista não é tanto sobre as coisas, mas sim sobre transformação interna.

A felicidade é interior, não exterior; portanto, não depende do que temos, mas do que somos. – Henry Van Dyke


Nosso mundo atual parece não seguir a mesma linha de pensamento de Van Dyke. Vivemos em uma sociedade baseada no consumo, produzimos e consumimos em excesso e nossos bens materiais acabam dominando não apenas nossos ambientes físicos, mas também nossas mentes, privando-nos de paz e qualidade de vida.

O que parece ser esquecido é que não encontramos felicidade naquilo que compramos, mas sim naquilo que vivemos. A felicidade está dentro de nós, por mais clichê que possa parecer.

Cada vez mais pessoas estão tomando uma postura mais consciente e adotando um estilo minimalista, que se baseia em ter mais espaço, tanto nos ambientes físicos quanto mentais, para viverem aquilo que realmente desejam.


Um exemplo de sucesso de vida minimalista

O japonês Fumio Sasaki, editor e autor do livro “Adeus, coisas” tem se tornado mais conhecido desde que foi protagonista de uma matéria no jornal The Guardian que abordava seu estilo de vida minimalista. Assim como nós, Sasaki viva em um mundo de excessos, mas aprendeu a controlar a si mesmo para viver melhor, sua história é um exemplo para todos nós.

Na entrevista, Sasaki disse “viver apenas com o básico não só me deu benefícios superficiais, como o prazer de ter uma sala arrumada ou facilitar a limpeza, mas também me levou a uma mudança mais essencial: deu-me a oportunidade de pensar sobre o que realmente significa ser feliz.

Ele disse que teve que abandonar muitas coisas que guardava há anos, mas que apesar de não ter sido fácil no começo, agora se sente mais vivo espiritualmente e mais feliz.


Em algum momento, Sasaki percebeu a negatividade de seu modo de vida, seu dinheiro não era mais suficiente para sustentar seu consumismo. Ele gastava tudo o que tinha com coisas fugazes, que não lhe proporcionavam nada além de gratificação imediata. Ao invés de agradecer por tudo o que tinha, ele se concentrava no que lhe faltava.

japonês que vive uma vida2

Sasaki disse: “Nós pensamos que quanto mais tivermos, mais felizes seremos. Como não sabemos o que o futuro detém, poupamos tudo o que podemos, inclusive dinheiro. Só que, com o tempo, nós acabamos por julgar as pessoas pela quantidade de dinheiro que possuem. Nós nos convencemos de que precisamos ganhar muito dinheiro para sermos felizes.”

Para acabar com a infelicidade e insatisfação em sua vida, ele decidiu quebrar esse círculo vicioso de negatividade adotando um estilo de vida minimalista.

Sasaki ensina grandes dicas para ajudar todos aqueles que desejam transformar suas realidades, veja abaixo.

1. Sempre existe alguma coisa que pode ser doada ou descartada. Todos temos muitas coisas das quais não precisamos ou que não têm um valor especial em nossas vidas.


2. Ao nos libertarmos de coisas que não precisamos, ganhamos mais espaço, liberdade e qualidade de vida.


3. Sua dificuldade em desapegar de suas coisas pode estar ligada a um profundo medo da solidão ou de seu apego ao passado.


4. Todos temos limites. Não podemos gastar nossas energias e tempo com pessoas e coisas que não nos ajudem a evoluir.


5. Elimine tudo em sua vida que só existe para manter as aparências ou para agradar o outros, mas que não o fazem feliz.


6. Aprenda a diferenciar as coisas que você quer das que precisa, para gastar seu dinheiro conscientemente e viver melhor.


7. Pense em seus bens materiais como seus colegas de quarto, mas quem paga o aluguel é você, sozinho. Com esse pensamento, torna-se mais fácil livrar-se daquilo que apenas existe para ocupar espaço.


8. Livre-se dos supérfluos e deixe seu ambiente realmente “limpo”.


9. Não deixe esse processo para mais tarde. Quando procrastinamos, acabamos não fazendo nada. Comece devagar, mas não fique imóvel.


10. Transforme também o seu interior. Livre-se de tudo o que não lhe faz bem, abandone suas crenças limitantes e esteja aberto para novos caminhos.


Uma vida minimalista não é tanto sobre as coisas, mas sim sobre transformação interna. Nosso objetivo deve ser nos libertarmos de um modo de vida consumista, para podermos viver melhor e encontramos um equilíbrio entre nosso bem-estar e felicidade e nossos bens materiais, entre nossos desejos e necessidades.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.