Jogue fora as tristezas e cultive somente aquilo que vale a pena…



Faça uma limpeza interior. Deixe sua alma leve porque é somente disso que você precisa: leveza na alma.

Faça uma limpa em seu interior, jogue fora as tristezas e cultive somente aquilo que vale a pena, arranque as cicatrizes do coração e tudo aquilo que aperta o peito, deixe sua alma leve porque é somente isso que você precisa: leveza na alma.

Não se contente em entulhar mágoas, em guardar tropeços e desembrulhar o passado que só o leva cada vez mais para trás. Cabe a você cada escolha a ser feita, os seus caminhos são só seus. Por isso, não deixe que ninguém seja dono das suas escolhas, pois a nossa felicidade depende dos trajetos que decidimos percorrer.

Não deixe de lado os seus sonhos, não existem impossíveis para quem crê que Deus tudo pode e confia no tempo em que Ele determina para cada coisa.

Apressar suas escolhas não o levará mais rápido para as conquistas. Atalhos podem nos levar a fracassos.

Entenda que a nossa vida é processo, devemos passar por todas as etapas, são elas que nos preparam, pois é ao longo da caminhada que aprendemos que é preciso amadurecer.

Amadurecer é aprender a enxergar tudo aquilo que vale a pena, saber valorizar quem lhe estende a mão e lhe é abrigo quando você não encontra a direção, dizer para as pessoas que valem a pena o quanto são especiais.

Amadurecer é simplesmente enxergar a vida a partir de outro ângulo: aquele que nos apresenta as bonitezas de estar vivo e de podermos ter mais um dia para caminhar, mais pessoas para encontrar e mais trajetos para percorrer.



A vida é muito breve, a vida é instante e nós somos a experiência de sermos esse instante, nós nos modificamos a todo o momento. Por isso, não devemos perder tempo com o que não tem tanta importância.

A brevidade da vida requer pessoas sábias o suficiente para ser a intensidade que o instante requer porque, de repente, a vida se vai como uma folha que some com um vento inesperado.

A vida é uma verdadeira tela e nós somos os pintores. Somos os responsáveis por escolher as cores com as quais a pintaremos. Eu tenho escolhido as cores da leveza, da felicidade, da fé, as cores que me tornam mais humana a cada dia e cada vez mais capaz de esquecer todas as cores que não alimentam o bem que eu necessito e a leveza que eu quero carregar em meu interior…

Sem dó, tenho escolhido descartar os sentimentos que me esmagam, as lembranças que me estagnam e as pessoas que não fazem questão da minha presença. A vida é curta demais para não abraçamos o que vale a pena, para não enxergarmos o que realmente importa e para deixarmos que a vida nos escape pelas mãos.

Eu escolhi a vida e nesse meu caminhar descobri que o que importa é saber viver e aprendi a não me privar dessa aventura.


Direitos autorais da imagem de capa: wall.alphacoders / 956846






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.