Comportamento

Jovem afirmou que foi discriminado no trabalho por usar delineador: “Não pode vir assim”

capajovem afirmou que foi discriminado no trabalho por usar delineador Nao pode vir assim

O caso tem repercutido nas redes sociais, e o jovem está sendo apoiado por muitos internautas.



Até onde podemos impor os nossos gostos pessoais a situações de trabalho? Esse é um questionamento feito por funcionários e empregadores que se sentem infelizes com os comportamentos um do outro.

Já compartilhamos por aqui algumas situações em que funcionários foram desligados por conta de suas escolhas de vestuários, como a garçonete que foi trabalhar com roupa curta.

Em casos como esses, há sempre pessoas para defender os dois lados, tanto o dos funcionários, que segundo elas podem usar o que quiserem, especialmente quando não houver regras de vestuário, quanto daqueles que apoiam os empregadores, aos quais atribuem o direito de definir as “leis” nos próprios estabelecimentos.


Hoje trouxemos mais uma história como essa, que tem repercutido nas redes sociais nos últimos dias e levado muitos a repensar nas relações de trabalho envolvendo chefes e subordinados. O caso foi protagonizado por Iván Cortés, um jovem da Cidade do México, que se viu no meio de uma situação bastante desagradável com seus patrões.

O funcionário de uma loja de sorvetes certo dia escolheu passar um delineador de cor azul e ir trabalhar, acreditando que não haveria nada demais com sua maquiagem, já que várias mulheres e outros funcionários do local já haviam usado o mesmo produto. No entanto, foi surpreendido com a reação de um dos chefes.

Conforme compartilhou em uma série de postagens em seu perfil no Twitter, um supervisor de fora foi à loja num dia em que ele trabalhava sozinho e logo o repreendeu, dizendo que não poderia trabalhar daquele jeito e que nunca mais deveria se apresentar assim na loja.

2jovem afirmou que foi discriminado no trabalho por usar delineador Nao pode vir assim

Direitos autorais: reprodução Twitter/@ivan_corthdz.


Cortés ficou bastante ofendido com a observação do chefe, mas esse não foi o fim da história. O homem ainda falou sobre isso com o supervisor regional do jovem, ao qual pediu para não lhe causar problemas.

Ainda disse que eles deixaram sua carga horária mais pesada, mas não se abateu. Em outro dia, Cortés decidiu ir trabalhar novamente usando delineador, mas dessa vez preto, porque é mais “discreto”. Novamente ele foi repreendido por outro superior, que lhe pediu para tirar a maquiagem naquele instante, mas ele não o fez, afirmando que o delineador era à prova d’água.

Afirmando que a empresa não tinha código de vestimenta, o jovem não entendia por que estava sendo discriminado e contou que foi às autoridades que regulam as condições de trabalho no México para denunciar a situação. Ele ainda compartilhou o print de uma mensagem que recebeu de seu gerente local.

Nela, o superior não apenas o repreendeu por sua atitude, mas também ameaçou reter o seu salário se continuasse a falar sobre essa história. Em uma de suas últimas atualizações, Iván comentou que havia se demitido da empresa que lhe causou toda essa dor de cabeça nos últimos dias.


3jovem afirmou que foi discriminado no trabalho por usar delineador Nao pode vir assim

Direitos autorais: reprodução Twitter/@ivan_corthdz.

Na rede social, a história se espalhou rapidamente e, como é de se esperar, Cortés recebeu muito apoio. Diversos usuários condenaram a atitude da empresa, afirmando que a personalidade dos funcionários deve ser respeitada. Além disso, diversos veículos compartilharam sua história, apoiando-o.

Esse tipo de situação costuma acontecer com frequência em locais onde os funcionários trabalham em contato direto com o público. Embora cada empresa tenha o direito de criar as próprias regras, é sempre muito importante reforçar que a maneira certa de lidar com os inconvenientes é com respeito e sabedoria, encontrando uma solução boa para os dois lados da história.


Influencer é criticada por sortear carro e premiar sua mãe como ganhadora

Artigo Anterior

“Fugi pela janela do segundo andar.” Noiva escapa de relacionamento abusivo e cancela casamento

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.