Jovem com síndrome rara se torna a mais nova advogada de Teresina, no Piauí

O mundo está cheio de exemplos positivos nos quais podemos nos inspirar para encontrar uma maneira mais significativa de viver. Pessoas que tinham tudo para desistir, abandonar sonhos e objetivos, mas resolveram fazer o caminho oposto e provar a si mesmas e àqueles ao seu redor que são merecedoras de sucesso e de uma vida que valha a pena.

Uma dessas grandes heroínas é a Renata, um jovem de Teresina, no Piauí, que se formou em Direito em agosto de 2018 e passou no exame da OAB, logo após o término da faculdade.

Essa por si só já é uma grande vitória, mas quando conhecemos sua história e tudo o que enfrentou até chegar onde está agora, a conquista da jovem se torna ainda mais especial!

Renata é portadora da Síndrome Mucopolissacaridose tipo VI, condição causada pela deficiência da enzima arilsulfatase B (ASB). Além disso, também é deficiente visual, o que a impede de andar sozinha com independência. Ela precisa quase sempre de uma companhia, alguém para guiá-la. Entretanto, mesmo com essa limitação, ela não desistiu dos estudos. Escolheu Direito, um curso que requer muita leitura, aprendizagem de leis e códigos, testes complexos e oferece pouca acessibilidade para os alunos especiais.

Foram muitos anos de batalhas diárias. No entanto, Renata não estava sozinha, a família foi de fundamental importância. A mãe de Renata lia para a filha todos os livros, leis e materiais exigidos pelo curso, além de assistir a algumas aulas e revisões com a filha, para que ela não ficasse com dúvidas sobre as matérias. Renata também gravava todas as aulas, para estudar posteriormente.

Todo esse esforço rendeu resultados positivos. Renata estava sempre entre os melhores alunos da sala, e se destacava. Seu TCC alcançou a nota máxima e a jovem se formou com muita honra!

Abaixo estão algumas fotos da colação de Grau de Renata. O sorriso dela reflete a alegria de quem sabe que não há nada que não possa conquistar. Ele é seu companheiro diário, e reflete a escolha de sempre focar no lado positivo das coisas e buscar se superar todos os dias.

As pessoas que sofrem de doenças raras, como Renata, muitas vezes sentem-se excluídas pela sociedade e percebem que suas oportunidades na vida pessoal e profissional são limitadas. Isso está muito relacionado aos prejulgamentos que fazemos dessas pessoas e mostra a necessidade de se falar mais sobre essas condições.

Com o objetivo de desmistificar conceitos sobre essas pessoas, foi criado o Dia Mundial das Doenças Raras, celebrado no último dia de fevereiro. A campanha mundial desse ano teve o tema Show your rare, show your care”, traduzida para o Brasil como “As doenças podem ser raras, mas o cuidado não! Mostre que você se importa!”

As pessoas que participaram da ação pintaram os rostos e postaram fotos nas redes sociais com as hashtags #showyourrare ou a #rarediseaseday.

A esperança é que a iniciativa também inspire os políticos a trabalharem mais ativamente sobre necessidades dessas pessoas e de suas famílias.

Uma ideia muito especial e que certamente trará mais dignidade e portas abertas para os portadores de doenças raras.

Renata é um grande exemplo de que essas pessoas podem conquistar grandes coisas, e que merecem ser tratadas com o devido respeito!

Compartilhe essa história e inspire as pessoas ao seu redor a sempre acreditarem em si mesmas!


Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: Arquivo familiar.



Deixe seu comentário