Notícias

Abandonada em roda de caminhão depois de sofrer 18 facadas, jovem consegue sobreviver!

Untitled 2
Comente!

A perícia ainda tenta descobrir se Raquel também foi vítima de violência sexual, o que apenas o laudo pode apontar.

Em Santos, no litoral de São Paulo, um caso de violência brutal chocou a população. Vitória Raquel Celeste, de apenas 23 anos, levou 18 facadas e foi abandonada na roda de um caminhão, depois de ser abordada por dois homens durante a madrugada do dia 19 de maio. A vítima sobreviveu, e precisou passar 12 dias internada além de receber transfusão de sangue.

A jovem explicou ao G1 que, na noite do crime, estava de mudança do bairro Rádio Clube, e já tinha conseguido vender o sofá, geladeira, fogão e armário da cozinha, o deixou ela e a companheira animadas. O casal tentou pedir comida através de um aplicativo, mas os restaurantes já estavam fechados, e por volta de 1h40, Vitória foi a um estabelecimento comprar um salgado.

Chegando no local, Vitória esperou o pedido ficar pronto e já estava voltando para casa, que ficava bem próxima, quando ouviu um assovio e tentou enxergar algo na escuridão da rua. Ela conta que nesse momento alguém jogou areia molhada em seus olhos, o que a fez perder a visão momentaneamente, e os dois homens colocaram um pano com alguma substância em seu rosto.

O líquido usado no pano queimou os olhos e o nariz de Raquel, que sentiu o corpo sendo arrastado antes de desmaiar. A vítima acordou algum tempo depois com um dos agressores a enforcando, dizendo que ela não era ninguém, enquanto o outro a filmava. Foi quando a jovem percebeu que estava em cima de um colchão e que ao seu lado tinha uma faca preta, ela tentou pegá-la para se defender.

Assim que o homem foi para cima dela, Raquel tentou acertá-lo com a faca, mas acabou sendo dopada novamente. Um dos homens, que estava quase sem roupas, pediu que o outro fosse comprar drogas para eles. Como estava sob efeito de alguma substância química, ela explica que não consegue se lembrar com clareza se foi vítima de violência sexual ou não, e quando acordou novamente os dois agressores estavam brigando.

O homem que estava filmando foi embora, e o outro ficou, Vitória acabou desmaiando novamente, sentindo que já estava machucada. A jovem acordou com o latido de um cachorro, e percebeu que estava dentro da roda de um caminhão, ela conseguiu se lançar para fora e se arrastar até a calçada. A vítima estava sem a parte de baixo das roupas, e ficou procurando os shorts, mas acabou desmaiando novamente.

Assim que acordou mais uma vez, percebeu que estava ensanguentada, e chegou a passar a mãe no pescoço, região onde também foi atingida por uma das 18 facadas que levou. Uma funcionária de uma banca de jornal próxima ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas acreditou que a vítima já estava morta.

whatsapp image 2021 06 14 at 20.35.09 1

Direitos autorais: Arquivo Pessoal

Vitória ficou internada durante cinco dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e mais uma semana na enfermaria da Santa Casa de Santos. A jovem acredita que o apoio que recebeu dos familiares, que movimentaram uma campanha de doação de sangue nas redes sociais para ajudá-la, e o bom atendimento da equipe médica, foram os principais responsáveis pela sua sobrevivência.

Vitória resolveu falar sobre o assunto com o objetivo de ajudar outras mulheres e vítimas a serem fortes, respeitando o tempo da dor, mas também lutando para que ela não cresça, tendo, principalmente, esperança na justiça.

Configurado como crime sexual, a Polícia Civil informou que registrou o caso como estupro e tentativa de homicídio qualificado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), mas não pode oferecer mais detalhes sobre o ocorrido.

Comente!

“Eu vi a morte”, revela funcionária agredida por pedir que cliente colocasse a máscara

Artigo Anterior

“Filhos vêm com manual, sim. Mas para ler é preciso olhar nos olhos deles” (Daniel Becker)

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.