“kufungisisa”, o perigo de pensar excessivamente

Você ouviu falar em “Kufungisisa”? É uma expressão originária das tribos do Zimbábue que possui um significado muito profundo e reflete um dos maiores problemas de nossa sociedade atual.



A tradução da expressão é “pensar demais” ou “pensamento excessivo”, e se refere tanto ao momento presente quanto aos eventos passados que ainda estão presentes em nossas mentes.

O povo nativo do Zimbábue acredita que o excesso de pensamentos não nos faz bem, e pode inclusive causar depressão ou ansiedade; além de condições físicas, como dores e fadiga.

O hábito do pensamento excessivo nos machuca

Nós nos diferenciamos das demais criaturas pela nossa capacidade de reflexão. Não somos guiados apenas pelos instintos, mas podemos refletir sobre as coisas que acontecem em nossas vidas e ao nosso redor, e a partir disso, definir quais caminhos devemos seguir.


Nossos sentimentos também nos tornam especiais. As demais espécies com as quais convivemos não possuem sentimentos intensos e complexos como os nossos. No entanto, por melhor que isso possa ser e por mais que nos permita experimentar o mundo e a vida mais amplamente, nossa capacidade inata de sentir e refletir também é a causa de muitos de nossos problemas.

A psicologia moderna possui conceitos muito semelhantes às tribos africanas, quando se trata do excesso de pensamento. Através de estudos sobre nossas mentes, a ciência descobriu que o que realmente nos deixa mal não é o que nos acontece, mas como reagimos a essas coisas. Portanto, nesse sentido, é importante estarmos com a mente treinada para interpretar aquilo que nos acontece com mais sabedoria e consciência.


Nossos cérebros influenciam em nossos comportamentos

Ainda que estejamos vivendo em uma época mais evoluída, de certa maneira, nossos cérebros ainda se comportam como se estivéssemos no Paleolítico. Mantemos um sistema que nos faz dar atenção para as coisas que podem dar errado em cada ação que realizamos, conhecido como sistema de ativação reticular, e ele naturalmente nos incentiva a dar atenção ao negativo.


O conceito Kufungisisa, apesar de não ter sido desenvolvido baseado em evidências científicas, também defende que são nossos pontos de vista que nos fazem mal.


Como podemos controlar os pensamentos excessivos

Ressaltando a importância do pensamento consciente para uma vida saudável e feliz, existem duas principais estratégias que são ensinadas há milhares de anos para controlar os pensamentos excessivos:

1. Trabalhar em nossos pensamentos sobre aquilo que nos acontece

Como dito acima, mais importante do que aquilo que nos acontece são nossas reações a isso. Precisamos aprender enxergar as coisas com mais perspectiva e consciência. Tudo possui um significado maior e uma lição a nos ensinar, e quando aceitamos isso, deixamos de nos frustrar e aprendemos a apreciar nossas vidas nos bons e maus momentos.


2. Viver no presente

Assim como no Kufungisisa, outras filosofias de vida compreendem que nossos sofrimentos são muito influenciados por nossos pensamentos, e para mudarmos nossas realidades, precisamos aprender a como silenciar nossas mentes.

Não é uma prática simples nem rápida, exige dedicação e comprometimento, mas existem algumas atividades que podem ajudar a diminuir o barulho dentro de nossas mentes, como meditação e yoga.

Você tem o hábito de pensar demais? Como faz para lidar com isso? Experimente atividades que o permitam relaxar a mente e receba os benéficos em sua saúde física e mental!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: dragonimages / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.