Família

Leandra Leal fala sobre compromissos da maternidade: “Adoção não é trabalho social”

A atriz defende que ser mãe não é um “ato político” e que a maternidade envolve questões mais profundas e complexas.



A adoção é um tema recorrente em nossa sociedade, porque envolve a criação e o cuidado de crianças que estão em abrigos, aguardando o momento em que terão uma família.

Atualmente, no Brasil, existem mais de 30 mil crianças acolhidas, 4.282 disponíveis para adoção de fato. Com a pandemia, houve queda de mais de 26% no número de sentenças de adoção, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Para muitos, a adoção é vista como algo edificante, uma atitude que, definitivamente, é atestado de boa índole e amor pelo próximo. Mas para a atriz Leandra Leal, a maternidade de crianças adotivas não deve ser encarada como trabalho social, tampouco como algo para “ajudá-las”. Mesmo se considerando uma personalidade com consciência política, para ela, ser mãe não é um “ato político”.


Em entrevista à revista Marie Claire, Leandra revelou que a maternidade envolve um sentimento de amor incondicional, e que também se sente adotada por Júlia, já que uma escolheu à outra.

Pode até parecer um pouco estranho que a atriz não envolva política e maternidade, mas ela explica que um gesto ideológico é incapaz de segurar uma maternidade, que é algo muito superior, de compromisso diário.

A artista conta que, se a maternidade fosse por ideologia, acabaria não dando certo. Mas esse sentimento entre mãe e filhos transcende o amor comum, sem passar por questões políticas.

Quando uma pessoa adota com a intenção de “ajudar crianças”, Leandra é categórica e diz para ela não adotar. Ao invés disso, deveria se comprometer com um trabalho social, já que a criação infantil é muito superior a isso.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@leandraleal.

A atriz sempre teve o sonho de adotar e conta que, desde a infância, ela sabia que seria mãe dessa forma. A filha está com quatro anos, e Leandra diz que ela tem uma personalidade parecida com a sua, sempre com um sorriso no rosto.

Caso Júlia seja fotografada sem o rostinho feliz, logo reclama, já que permanecer sorridente é uma de suas marcas registradas. Como Leandra Leal é filha única, o desejo de ter uma família grande se faz presente, o que a faz cogitar também se tornar mãe biológica.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@leandraleal.


A experiência da gravidez costuma a atrair, mas caso não dê certo, não será um problema, mas segue querendo mais filhos, já que se envolveu muito com a maternidade.

Envolver-se profundamente na criação de filhos, para a atriz, mexe com muitas coisas dentro dos pais e, mesmo sendo um processo extremamente difícil, é a melhor coisa que pode acontecer na vida dos indivíduos. O comprometimento com a educação e o olhar singelo para as necessidades infantis acabam se revelando como verdadeiros pontos de convergência na vida adulta.

Israel é o primeiro país a proibir o comércio de peles de animais!

Artigo Anterior

Com apenas 1% de chance de voltar a andar, jovem desafia as probabilidades e dá seus primeiros passos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.