17min. de leitura

Leis Universais

Saiba como movimenta-se as energias universais.

As Leis Universais são os pilares da criação e regulam os movimentos e atividades tanto da vida humana quanto de todo o cosmos. No caso do ser humano, elas indicam o caminho a seguir, visando o seu aperfeiçoamento e evolução. Cumprem esse supremo objetivo, porque nelas está plasmada a vontade do Criador, que estabelece a evolução integral e permanente do homem. Para que este possa alcançar tais objetivos é imprescindível o conhecimento dessas leis, que lhe é concedido através da consciência que o ser humano vai formando com os conhecimentos transcendentes.Toda a criação é governada por leis, e os princípios que operam no mundo físico estudados pela ciência, são as leis naturais. Por outro lado, desde sempre que todas as sabedorias e conhecimentos espirituais, revelaram leis subtis que presidem ao plano espiritual e à dimensão da consciência.De acordo com essa sabedoria, a verdadeira natureza da matéria está contida nestas leis energéticas. O ser humano quando aprende a conhecê-las consegue conquistar a verdadeira liberdade interior. Muitos mestres Zen dizem “Conhece as Leis e sê livre”.


 

Utilizar as leis de forma consciente é uma experiência maravilhosa e uma grande aventura. Digo muitas vezes que as leis fazem-nos sentir que podemos plantar sementes com as nossas intenções e vê-las  gradualmente a tomar forma. O ser humano caminha num longo processo evolutivo, e todas as nossas escolhas passadas condicionam o nosso presente, pela positiva ou não. A grande maioria dessas escolhas é inconsciente, e estudos atuais confirmam que aproximadamente 90% do que criamos na nossa vida, fazemo-lo de forma inconsciente (os nossos hábitos, automatismos, padrões inconscientes de resposta ao meio). Por isto, atraímos tantas vezes para a nossa vida circunstâncias de que não gostamos. São consideradas a lei da Atração e a Lei da Criação Consciente juntas em ação.
 

A Lei da Atração

“A nossa vibração energética atrai uma outra vibração energética semelhante.”

De acordo com esta lei Universal da Atração o universo envia para nós, o que nós enviamos para nós próprios. De uma forma simplicista o universo respeita a nossa consciência e o que o seu nível evolutivo atrai. Recebemos o que damos porque damos a nós mesmos. O que fazemos, fazemos a nós próprios e a vida trata-nos como nós nos tratamos a nós mesmos de uma forma consciente e inconscientemente. Logo pensamos e logo agimos, pois o pensamento é uma força criadora, e a nossa mente humana é uma luz da mente infinita de Deus. As reações produzidas pelos exercícios das nossas ações boas ou más tornam-nos recetores daquilo que outrora produzimos consciente ou inconscientemente. Dessa forma; recebemos de volta – muitas vezes multiplicado – aquilo que geramos. Pensamentos negativos atraem pensamentos negativos, como pensamentos positivos atraem pensamentos positivos.
 
Uma forma de nos alinharmos com a fonte inesgotável universal pode ser através da meditação ou da oração. Concentrar a nossa intenção e mantê-la na mente pode ser uma forma de colocar no plano físico, de acordo com nossa intenção. Paralelamente se desenvolve o desapego pelos resultados, e o processo da criação divina não é para ficar obcecados num só pensamento, mas trabalhar com a intenção de se realizar. A nossa intenção ajuda a construir o nosso caminho da vida, e devemo-nos lembrar que o universo não funciona pela sua competição, mas pela cooperação entre pensamento e ação. Devemos ser criadores, pois a evolução é o impulso silencioso no coração da humanidade.
 
Quanto mais tempo é um pensamento puro e isento de qualquer outro pensamento, se for mantido na mente, mais poderoso será o resultado. Esta é a iniciação no processo de manifestação das nossas intenções. Onde está a nossa atenção, está o nosso desejo. A intenção transforma a realidade promovendo a manifestação do desejo. Nesta lei a base da manifestação energética consiste em que nada está estático, tudo se move e vibra. Esta é a Lei do progresso, do movimento e da rotação constante. A energia do pensamento vibra em baixas frequências, e o pensamento subtil, é energia vibrando em frequências mais elevadas. Na vida tudo o que existe está em constante vibração e movimento, e nós somos recetores e emissores de vibrações, em relação ao nosso meio ambiente.
 
Em relação às questões energéticas desta lei, atraímos a nós as pessoas e as circunstancias que estão na mesma onda vibratória, que entram em ressonância com o nível energético em que nós vibramos. As emoções mais densas, como o rancor e a tristeza, correspondem a frequências mais baixas de vibração e atraem, frequências de igual valor, ou seja, as frequências da zanga e frustração. Também não nos devemos esquecer aquilo que emitimos, ser-nos-á, assim devolvido. Quando falamos do destino, é a consequência direta das energias de cada um, e nada acontece por acaso nesta teia energética. A Mente Universal não julga, os pensamentos humanos das quais muitas vezes irrealistas e artificiais.
 
2


A lei da criação consciente:

“Criamos a nossa própria realidade (o que está fora é um reflexo do que está dentro). Devemos assumir a nossa responsabilidade pela nossa vida, felicidade, saúde, etc… em vez de responsabilizarmos os outros (os médicos, terapeutas, advogados, pais, governantes) ou o mundo à nossa volta. “

 
Os pensamentos, imagens, ações, medos que retemos na nossa mente consciente e inconsciente, irão manifestar-se espelhados nas nossas circunstâncias externas. O mundo exterior é um espelho do mundo interior. Quando esta Lei é usada conscientemente, aumentará a claridade e a capacidade da nossa visão e possibilitará à mente penetrar gradualmente nos segredos da vida, iluminando muitos paradoxos e esclarecendo muitas questões internas. Esta analogia ou correspondência, estabelece a interligação entre todas as coisas no universo e mantém a compreensão em todas as coisas em relação entre si. Tudo nesta dimensão é dúbio em relação as nossas questões e em referência ao mundo que vivemos. Tudo tem o seu oposto-complementar, e os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau. Todos os paradoxos são reconciliáveis, pois tudo tem a sua polaridade.
 
Nesta polaridade energética grande parte das nossas soluções, e dos nossos receios e medos encontram-se encerrados na nossa mente. Uma forma de conseguir ultrapassar as dificuldades da vida, é encontrar o caminho da felicidade, é pensarmos que muitas das situações que passamos na nossa vida, fomos nós conscientemente que as permitimos, muitas vezes por falta de coragem ou medos de enfrentar os outros.Os conceitos Yin e Yang estão presentes na nossa vida, e significam o princípio e as mudanças da Natureza. É o princípio de tudo quanto existe na Criação, e todas as formas de energia possuem estas duas polaridades, opostas e complementares. Uma forma de entender este conceito é quando numa fase da nossa vida, ficamos doentes (esgotamento por exemplo), e essa doença (Yin) deu-nos o tempo necessário para analisar e pensar melhor na nossa vida, e dar mais valor a nossa saúde e estarmos mais perto da nossa família.No conceito energético Yang essa doença serviu para uma melhoria na nossa vida. O ser humano tradicionalmente nos momentos bons pouco ou nada aprende, e nos momentos de dificuldade na vida acaba por lembrar, e aprender sempre mais a dar valor a vida. É esta a sina do ser humano criada por ele próprio, a qual ele pode mudar, se aprender a pensar vai aprender a viver. Se não conseguimos ser mestres do nosso próprio pensamento, então seremos mestres de quê?
 
1

A lei da permissão:

“Permitirmo-nos receber aquilo que desejamos – a energia universal é infinita (não tem limites); e o universo é abundância.”

 
O tempo não existe e esta ideia é uma convenção, um acordo social. Passado e futuro só têm realidade nas nossas construções mentais. Na verdade, só temos o presente – agora. Quando mantemos um remorso ou mágoa na nossa mente por algo ocorrido no passado, mantemos a ocorrência viva através de imagens e sentimentos que evocamos. Quando estamos ansiosos em relação ao futuro, mantemos a ânsia viva através de imagens que visualizamos na mente. Quando praticamos o recordar que o aqui e agora é tudo o que temos, o nosso presente melhora. O único momento que temos nesta vida é o agora, pois é onde criamos. As consequências dos atos passados são geridas pelas leis do karma e do Dharma, que nos indicam o porquê de estarmos recebendo os entraves atuais. O nosso futuro é construído a partir dos pensamentos de hoje, embutidos pela emoção e orientados pela ação. Evoluir espiritualmente significa também aprender a perceber o sentido de ordem das coisas e a perfeição inerentes ao momento presente.
 
O poder consciente atual é aprender a trazer para agora os nossos sonhos e o nosso coração. É preciso concentrarmo-nos em coisas novas para magnetizar outras coisas novas. O semelhante atrai o semelhante e nós precisamos desidentificarmo-nos com o negativo, com aquilo que nos disseram que nós éramos, com as expectativas dos outros sobre nós e construir saudavelmente a nossa vida de acordo com o nosso merecimento. É preciso libertarmos o passado, isso significa também a criação de uma história “nova”, sabendo que nós temos esse poder maravilhoso de transformação. Lembrem-se, tudo na criação é energia e por isso todos os pensamentos por nós pensados apresentam uma frequência. Cada sílaba, palavra ou forma-pensamento por nós invocada tem seus próprios conjuntos de frequências que ressoam por todo seu universo. Quando nos concentramos no amor, as frequências de alegria, harmonia e paz ressoam no universo. Quando se concentram no medo, frequências de raiva, depressão e caos são as mensagens recebidas pelo universo.
 
A espiritualidade é acerca de ser, não de ser algo. E o ser, o estar consciente, atento e presente a todo o momento, é a cura para as nossas falhas de pensamentos e temos que aprender a cultivar pensamentos positivos, em todas as circunstâncias da vida. Então se acreditamos que podemos ter algo na nossa vida, vamos receber. Se não acredita ou duvida, então não receberá o que pede ou deseja. Se não tiver esperança, não o estará a permitir. Se tiver expectativas, não estará a permitir. Quanto mais tentar manipular ou controlar, então mais atrapalhará e retardará a manifestação dos seus desejos. A lei da “permissão” significa simplesmente isso: permitir receber algo na vida.
 


A lei da liberdade de escolha:

“Escolhemos o nosso caminho, ouvimos a nossa voz interior e respeitamos a liberdade de escolha dos outros.”

 
A lei universal diz que o ser humano é livre de qualquer constrangimento e da qual desfruta de uma liberdade absoluta nas suas escolhas. É pelo pensamento que o homem desfruta de uma liberdade sem limites, porque o pensamento desconhece obstáculos. Há um tempo para tudo na vida, como experimentarmos diversas emoções, diversas versões de nós próprios, diversos papéis, diversas modalidades de viver a vida de acordo com a consciência de cada momento.
 
Esta lei implica uma aceitação pragmática do momento presente. Aceitamo-nos a nós, aos outros e às circunstâncias tal como se apresentam em vez de lhes manifestarmos uma rígida resistência. Neste estado de consciência, as pedras no caminho transformam-se em degraus e os problemas em oportunidades. Tudo serve o nosso maior bem se fizermos um bom uso de tudo.
 
A maneira mais rápida de evoluir é dizendo sim à Vida porque estaremos a aplicar a aprendizagem contínua, ou seja deixamo-nos fluir com a vida, não oferecer-lhe resistência produz verdadeira transformação interior que abre as portas às bênçãos. Todos os dias podemos escolher resistir ou aceitar aprender com a Vida.
 
Liberte-se da dor, do remorso, da amargura e escolha o perdão pois é uma virtude espiritual sagrada.Perdoar não significa, que aceitamos o comportamento agressivo dos outros. Que passemos uma esponja e nos esquecemos automaticamente de tudo, como se apagasse nas células do nosso cérebro aquelas que contém a memória da ocorrência. O que acontece, é que quando me lembro da situação e fiz um trabalho honesto de perdão, a dor sentida antes vai diminuindo cada vez mais até que um dia, recordo-me da situação e já não magoa. Até que me esqueço da própria situação. O perdão transforma-se assim, numa extraordinária conquista do amor. Uma conquista que nos traz gradualmente um crescendo de paz interior que liberta grandes quantidades de energia psíquica/emocional que passamos a ter disponível para fazermos outras coisas na nossa vida.
 
Quanto à fatalidade na vida terrestre, pode-se dizer que está estreitamente vinculada ao exercício do livre-arbítrio. Temos liberdade para exercer a nossa vontade e efetuar opções, mas a Vida estará realizando, sem cessar, no íntimo da nossa consciência, um levantamento de bens e males cultivados, premiando-nos com a paz ou corrigindo-nos com a dor, a fim de que não nos percamos nem estacionemos nos caminhos da evolução. Liberdade de escolha, liberdade de nos amarmos mais, liberdade da ilusão de que estamos melhor com o ganho secundário da dor e do ressentimento. Liberdade de aceitarmos a Vida na íntegra, aceitar aprender atentamente nesta escola, com as experiências que nos elevam aos cumes da gratidão e com as que nos levam aos abismos da desilusão e do desespero.
 

Conclusão

 
Todas estas leis universais são necessárias para alcançarmos toda esta sabedoria divina. É necessária haver a transformação de nós próprios, através do pensamento, da compreensão e da transformação dos padrões de pensamento, anulando pensamentos negativos, chamando-os de volta, cancelando-os e substituindo-os por pensamentos positivos.
  
Texto retirado do livro “Reiki Essencial o Manual dos Mestres” de Sérgio Silveira e Conceição Pereira, Mestres de Reiki Essencial.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.