Leucócitos zero

E com leucócitos ZERO no sangue ela dançava.



Dançava com seu Brad.

Sim, o Brad Pitt, nome que deu àquele aparelho que carrega o soro e que eu não faço a menor ideia do nome real.

Melhor Brad Pitt.


Que nunca a deixava, que encafifou com ela e a perseguiria por todo o período de internação.

E, Brad, você não me larga, hein? Que paixão, dizia.

Um mês no hospital. Trinta dias. Quanto tempo para uma pessoa extremamente ativa, que vai, vem, faz e desfaz para um monte de gente.


De repente, leucócitos ZERO (é o que, de fato, se espera em um transplante de medula).

Uma música para dançar (My Girl, na linda regravação da banda Pato Fu) e um Brad que não larga de nosso pé.

Trinta dias que me ensinaram trinta anos.

Eu, apenas uma visita, tinha a liberdade de ir e vir. E, numa dessas idas, sentei-me, na recepção do hospital, quando um voluntário se pôs ao piano e tocou uma serena e linda música. Meus olhos marejaram…

Senti-me em uma novela de Manoel Carlos, mas tão real, que eu não sabia o fim. Torcendo para que tudo desse certo. Rezando muito.

Pensei, então, na função da emoção nesses dias difíceis. Precisamos cantar, precisamos dançar, precisamos chorar. E deixar as lágrimas correrem. Precisamos da nossa imaginação, de nossos “Brads e “Angelinas Jolie. Precisamos brigar com eles e amá-los também.

Isso me fez pensar sobre Jesus, em seus momentos mais difíceis, quando morria na cruz. Sempre ouvi, durante a missa, que Jesus, em seus instantes finais, dizia:  Senhor, por que me abandonaste? Confesso que nunca havia entendido essa passagem. Tão contraditória. Jesus sabia que Deus não o abandonaria. Perguntei sobre essa passagem a um estudioso da Bíblia e, então, ele me explicou que essa fala era uma música¹ da época de Cristo. Nossa, eu que amava as passagens da vida de Jesus, senti ainda mais admiração pelo grande mestre. Naquele momento de tortura e padecimento terríveis, Ele cantava!!!

Sim, Ele cantava a Deus para aliviar o seu sofrimento. Mais um ensinamento de humildade de um ser perfeito a nós, homens e mulheres, imperfeitos.

Cantemos, pois. E, se pudermos, dancemos também. E se sua voz não conseguir sair, cante em pensamento. Mas cante, cante…e abençoemos a vida a cada instante…


¹O salmo 22, encontrado no Antigo Testamento e cujo título é “Oração do justo sofredor”, começa com a frase dita por Jesus: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? ” Lembrando que os salmos são orações poéticas ritmadas atribuídas, em grande parte, ao rei Davi.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.