Comportamento

Dados revelam que existem 300 mil bruxos e bruxas praticantes no Brasil

Foto: Unsplash
wicca brasil destaque 1

Segundo a União Wicca do Brasil (UWB), o Rio de Janeiro é o estado com o maior número de adeptos da religião, e estima-se que tenha cerca de 40 mil praticantes.

Considerada uma religião neopagã, a Wicca se espalha pelos países do mundo, estando mais concentrada no Reino Unido, Estados Unidos e Brasil. Com crenças e práticas ritualísticas, ela é amplamente influenciada por crenças pagãs, ou seja, anteriores ao cristianismo, mas surgiu oficialmente em 1954.

A religião Wicca defende a existência de magia e do sobrenatural, celebra a sazonalidade das estações do ano (chamada de sabás), além do culto à natureza e à espiritualidade feminina e masculina. Conseguir mensurar oficialmente o número de wiccanos no mundo todo é algo extremamente complexo, isso porque as instituições perceberam ao longo dos anos que as religiões neopagãs eram difíceis de diferenciar, já que possuem estruturas de ramificações e de clãs.

A Biblioteca do Congresso Nacional dos Estados Unidos guarda em seu portal um levantamento realizado pelo site independente Adherents, que tem como principal objetivo determinar o número de religiões espalhadas pelo mundo. Acredita-se que exista cerca de 800 mil adeptos da religião no mundo inteiro, sendo o Reino Unido o local onde mais se concentram.

Porém, um dos maiores problemas que encontram atualmente é o fato da Wicca e de outras religiões neopagãs não serem apropriadamente separadas, ou seja, são contabilizadas como uma só. No Censo de 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os wiccanos acabaram sendo colocados junto com as categorias “outras religiões” e “Religiosidade não determinada”, o que acabou atrapalhando a contagem oficial.

Um levantamento da União Wicca do Brasil (UWB), uma organização não-oficial e sem fins lucrativos, estimou que em 2018 existiam cerca de 300 mil “bruxos” e “bruxas” espalhados pelo país, sendo que o Rio de Janeiro era o que mais apresentava adeptos, com 40 mil, seguido de São Paulo, com cerca de 20 mil praticantes, segundo reportagem do jornal O Globo. Os números não podem ser considerados oficiais, principalmente porque não estão no Censo do IBGE.

Mesmo assim, dentre as principais religiões pagãs e neopagãs, a Wicca tem sido a que mais ganha adeptos ao longo dos anos, com o auxílio das redes sociais, mostrando uma ampla capacidade de organização e de expressão no país. Vale lembrar que a religião não cultua demônios ou forças do mal, e uma das principais tentativas é acabar com o preconceito que a cerca.

Crenças Wicca e cerimônias

Os adeptos da religião acreditam na existência de dois deuses, um masculino e um feminino, e defendem que as forças da natureza e as energias que estão à nossa volta podem ser canalizadas para a cura de inúmeras doenças e até mesmo problemas psicológicos. Segundo uma reportagem da Superinteressante, a estimativa é que existam cerca de 2 milhões de praticantes no mundo todo, mas novamente, o censo não é oficial.

A religião é predominantemente feminina, sendo que sete a cada 10 participantes são mulheres, e os rituais acontecem na mata, bosques ou florestas. Nas cerimônias, o sacerdote ou a sacerdotisa limpam o local das más energias, normalmente com uma vassoura semelhante aquelas comumente associada às bruxas.

No altar que fica disponível nos encontros, a decoração é levada muito a sério, com velas, incensos, água, sal e joias com o formato de pentagrama. Todos os participantes tomam um banho com ervas antes do ritual, e assim que a cerimônia começa, um grande círculo é fechado com todos dentro, e ninguém pode mais entrar ou sair a partir desse momento.

A cerimônia se inicia com uma reza para cada um dos quatro elementos, água, fogo, terra e ar, que também são representados pelos pontos cardeais, norte, sul, leste e oeste. Depois, eles passam a invocar os deuses, que não têm um nome definido. Tudo o que foi colocado no altar anteriormente pode ser utilizado pela sacerdotisa para ajudar a tratar os pacientes, seja de doenças físicas ou emocionais.

Sim, caldeirões sempre estão presentes nos rituais Wicca, que costumam levar várias horas. Depois que acabam, todos se ajoelham e agradecem ao deus e à deusa pelos trabalhos que conseguiram realizar naquela noite e pela vida que levam. Não existem sacrifícios e nem culto a demônios, e a religião só carrega o nome de neopagã porque é influenciada por outras variedades que vieram antes do cristianismo.

0 %