7min. de leitura

Liberte-se do arquétipo da vítima. Não há mais tempo para culpas e acusações

Liberte-se do arquétipo da vítima! “Se a sua vida não está como você gostaria e você não faz nada a respeito, então, ela está exatamente como você merece.”

Dói ler isso? Dói. Mas é esta dor que vai fazê-lo movimentar. Isso se você entender que as dores movem! Saia do papel da vítima e tome iniciativas concretas a seu respeito e faça as mudanças que você quer para sua vida. Você pode e pode muito!


É possível que você sinta que não tem este poder, que não tem esta capacidade audaciosa de mudar e sair de onde você está e onde você se colocou – veja – você se colocou, pois ninguém o pegou à força e o amarrou, você se permitiu! Não foi? Tome esta responsabilidade.

Se você fez esse movimento de ida, você pode fazer o da volta e escolher um caminho melhor! Não seja vítima! Reconheça a sua força e perceba nas mãos de quem você a entregou! Você dá seu poder a quem? 

Muitas vezes, este poder é dado a alguém por quem nutrimos uma relação afetiva. E este alguém pode mesmo estar se sentindo bastante poderoso nesse momento, por ter esse domínio sobre você.

Geralmente, aquele que está numa situação ativa, de ofensa, domínio, agressão, sente-se beneficiado e satisfeito, de alguma forma, com a dor do outro. Sente-se poderoso por conseguir ofender, constranger, humilhar sua “vítima”. Entretanto, ele está sufocado pelo seu ego, pela sua obsessão de domínio e não percebe que seus atos refletem sérios problemas de alguém que precisa de tratamento psicológico.


Uma pessoa com transtorno de personalidade narcisistas, por exemplo, será aquele predador emocional que usará de suas técnicas de sedução e violência para controle e manipulação.

A questão é que pessoas com esses indicativos devem ser levados em conta e o melhor a fazer é se afastar!

Amor não é domínio, posse, medo, culpas. Não confunda sua relação amorosa com tapas e assopros! Você não está aqui para ser vítima de alguém, nem consertar o mau comportamento do outro em nome do amor. Lembre-se: este papel não é seu.

Temos de decidir como nós nos sentimos a respeito de nossas atuais circunstâncias.


Se alguém não está preparado para receber amor, compaixão, cura, a escolha é dele. Respeite! Esta pessoa ainda tem algo a aprender por estar enraizado na negatividade.

O seu caminho pertence a você e às suas escolhas. Permaneça centrado no seu ser. Por isso, a importância de se manter íntegro e inteiro. Em seu poder. A espiritualidade tem esta ferramenta de resgate.- autoconhecimento (meditação).

Lembre-se: você não tem nada a ganhar juntando-se à miséria do outro. “Não dê pérolas aos porcos.” Você pode ter compaixão por aqueles que sofrem, sem se juntar a eles. Trilhamos o mesmo caminho mas a jornada é individual.

Se lhe faz mal, vibre amor, mas não imponha seu amor como forma de regeneração. Só a pessoa é capaz de se conectar a esta energia. Só ela pode se transformar. Liberte-se da culpa, do dó, pena e preocupação. Estes são sentimentos inferiores que nada dizem respeito ao amor.

Vibre compaixão e, se for melhor para você, afaste-se! Desconecte-se para que você possa se restabelecer. O amor cuida, protege, motiva e não sufoca e cria dor.

Alguém exausto não consegue dar amor. E esse exausto pode ser você, por estar preso na roda dos jogos emocionais.

A nutrição do amor-próprio começa na preservação do espaço sagrado. Não permita que pessoas tirem isso de você e invadam aquilo que é mais vital a sua existência – você em sua energia.

Você não está feliz onde está? Então, mova-se! Corte a corrente invisível que amarra seus pés e dê o primeiro passo. Não acha que é hora de se trazer de volta?

Reúna forças, faça seu movimento de amor. Um primeiro passo agora e o caminho se abre. Mas dê o primeiro passo e tome-se de movimento constante!

Liberte-se do arquétipo da vítima. Não há mais tempo para culpas e acusações. O momento agora é de autorresgate, autorresponsabilidade e trabalho próprio na cura e regeneração do ser. Não podemos fazer isso pelos outros, se não há permissão, e mesmo assim, não há razões para se abandonar. Caso isso ocorra, a vida vai sacudir você, até trazê-lo de volta ao “juízo” – Você precisa de você!

Estamos vivendo um momento dourado para a humanidade. Muita luz chegando para dissipar a escuridão. Vamos aproveitar para encarar nossas sombras, promover a autocura, transmutar nossos aspectos negativos, nos livrar de tudo aquilo que não pertence mais à nossa jornada evolutiva para assim darmos o salto quântico tão aguardado. Curando-nos, curamos o mundo e temos a oportunidade de fazer a graça descer e se expandir em nossos seres libertos.

Faça boas escolhas. Cerque-se de pessoas do bem. Seja do bem. Faça-se bem.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: dglimages / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.