Notícias

Liderança europeia diz que crime no AM é consequência dos atos de Bolsonaro

Foto: Reprodução
Liderança europeia diz que crime no AM é consequência dos atos de Bolsonaro

Anna Cavazzini, eurodeputada e vice-presidente da Delegação do Parlamento Europeu para o Brasil, deixou claro que as mortes de Bruno Pereira e de Dom Phillips terão um impacto direto na relação já deteriorada do país com o bloco europeu.

Ela ainda sugere que a violência é resultado direto do comportamento do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“As mortes do jornalista Dom Phillips e do ativista dos direitos indígenas Bruno Pereira são notícias terríveis”, disse ela, que é uma das principais representantes do grupo de ecologistas no Parlamento Europeu. “As autoridades brasileiras devem investigar imediatamente os antecedentes destes assassinatos e levar os responsáveis à Justiça”, cobrou a deputada.

Cavazzini é a presidente da comissão de comércio e globalização do Parlamento e uma das principais vozes de questionamento em relação ao acordo Mercosul-UE, sob o argumento de que o tratado poderia ampliar o desmatamento e ainda chancelar a atual política de Bolsonaro.

Ao longo dos últimos anos, ela teceu duras críticas ao governo brasileiro e costurou um apoio explícito a grupos indígenas e defensores de direitos humanos no Brasil.

Agora, ela insiste que os dois homicídios não podem ser considerados apenas como casos isolados.

“Estes assassinatos são também uma consequência da difamação dos ativistas humanos e ambientais pelo presidente Bolsonaro e do desmantelamento da legislação ambiental e de direitos humanos”, denunciou.

Para a alemã, a questão vai além da morte dos dois homens, na Amazônia. “Este e o futuro governo brasileiro devem fazer todo o possível para assegurar que os ativistas dos direitos humanos, ambientais e climáticos sejam mais bem protegidos no futuro”, completou a deputada.

0 %