Notícias

Luis Felipe Manvailer é condenado a 31 anos de prisão pelo assassinato de Tatiane Spitzner

Júri era composto por 7 homens. Manvailer também foi condenado pelo crime de fraude processual. Decisão saiu nesta segunda (10), após 7 dias de julgamento.



Ele também foi condenado pelo crime de fraude processual, por ter modificado o local do crime.

O júri foi composto por 7 homens, que condenaram Luis Felipe Manvailer a 31 anos de prisão pelo homicídio qualificado de sua esposa, Tatiane Spitzner. Depois de 10 dias de julgamento, a decisão foi anunciada. A decisão ainda é passível de recurso, segundo informações do G1.

O caso aconteceu em julho de 2018, na região central do Paraná, em Guarapuava. Tatiane foi encontrada sem vida após uma queda de seu apartamento, onde morava com o marido. O laudo do médico legista confirmou, porém, que a causa da morte tinha sido uma asfixia mecânica.


De acordo com a Polícia Militar, houve um chamado que informava sobre uma mulher que teria saltado de sua sacada, ou jogada de um prédio. Testemunhas disseram que um homem carregou o corpo para dentro do edifício. Seu marido, Luiz Felipe Manvailer foi preso horas depois da morte da mulher, ao se envolver em um acidente no oeste do Paraná.

Para a polícia, ele estava tentando fugir para o Paraguai. Durante a audiência de custódia, o marido negou que tivesse matado Tatiane, dizendo que ela cometeu suicídio. Segundo ele, se envolveu num acidente porque a imagem da mulher pulando da sacada não saía de sua mente. Antes de ser morta, câmeras de segurança flagraram várias agressões desferidas por Luis em Tatiane, no elevador do prédio.

Direitos autorais: arquivo pessoal.

Antes de ser morta, imagens mostraram Manvailer agredindo a esposa. Já na audiência de instrução, o marido continuou negando que tivesse matado a esposa, e declarou que a família dela havia influenciado algumas testemunhas, por isso mudaram o depoimento.


O Juiz, Adriano Scussiato Eyng não concedeu a Luis o direito de recorrer em liberdade, e manteve-se a prisão preventiva. Ele está na Penitenciária Industrial de Guarapuava há dois anos.

Além da condenação, o juiz determinou que haja o pagamento de R$ 100 mil aos pais de Taniane, por danos morais. O júri teve início do dia 4 de maio e Manvailer foi condenado nas qualificadores de feminicídio, motivo fútil, meio cruel e asfixia.

O advogado que defende a família de Tatiane Spitzner, Gustavo Scandelari, afirmouque a sentença de condenação é uma satisfação à família e um recado claro da sociedade que não tolera mais a violência em todas as suas formas, principalmente a doméstica.

Direitos autorais: arquivo pessoal.


Os jurados entenderam que era um caso de condenação, com muitas provas. Disse que foi um marco na luta contra o feminicídio e isso fará com que mais pessoas se sintam encorajadas a denunciar casos de violência contra a mulher, finalizou.

“Representou para mim um ‘pãe’ tão atencioso, carinhoso e dedicado”, desabafa Thales Bretas

Artigo Anterior

“Vencendo a desnutrição”: nutricionista que luta contra a fome já ajudou mais 7 milhões de pessoas

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.